quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Com 12 contratações nos planos, diretoria do Santa Cruz agenda visita a Palmeiras e Cruzeiro


Nesta semana, o executivo de futebol pretende inicialmente fazer uma visita ao Palmeiras. Possivelmente, na semana que vem a ida será ao Cruzeiro. Nesse meio tempo, Luciano Sorriso, Leston Júnior e o presidente do clube, Constantino Júnior, vêm conversando diariamente em torno de nomes de possíveis reforços e da viabilização do planejamento que está sendo traçado. Os três, inclusive, deverão se encontrar nos próximos dias na capital mineira.

Avaliação

Para Luciano Sorriso, a vinda de reforços cedidos por Cruzeiro e Palmeiras têm que ser criteriosa. "Vamos ter acesso a esses clubes para tentar uma parceria e viabilizar bons jogadores. Faço questão de ir até lá para não ser só indicação do clube apenas. Quero saber se atleta quer vir mesmo. Não adianta só o clube querer", afirmou, sem restringir aos dois clubes a possibilidade de parcerias. "Pode ser que surjam outras possibilidades", acrescentou.

Na temporada 2018, o Santa Cruz firmou uma parceria com o Palmeiras, de onde vieram três atletas saídos das divisões de base. O zagueiro Augusto Silva e o lateral direito Maílton foram bem aproveitados em vários momentos do ano, enquanto o volante Johnny teve poucas oportunidades. Os três reforçaram o Tricolor sem ônus - uma condição que é importante atualmente frente às condições financeiras do Tricolor.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Em busca de novos valores para a base, Santa Cruz promove peneira no CT de Dois Unidos


postado em 03/10/2018 16:30 / atualizado em 03/10/2018 19:39
Com o objetivo de fortalecer as categorias de base, o Santa Cruz promoverá uma peneira no próximo dia 15 de outubro, às 9h, no Centro de Treinamento Waldomiro Silva, localizado em Dois Unidos. Serão aceitos atletas nascidos entre 2001 e 2005, para integrarem os elencos das categorias sub-15 e sub-17 do Tricolor do Arruda.

“Os atletas selecionados na peneira serão submetidos a uma fase de testes de 15 dias treinando com o elenco das categorias de base do clube. Fazemos isso para beneficiar os meninos, que nem sempre conseguem demonstrar todo seu potencial durante a pressão de uma peneira. Caso aprovados, eles passam a integrar o elenco de base do clube em definitivo”, coloca Diego Gondim, assessor de imprensa das categorias de base do Santa Cruz.

Para se inscrever os interessados deverão ter entre 13 e 17 anos, e comparecer no setor das categorias de base do clube até o dia 11 de outubro (quinta-feira). No dia 15, os candidatos a futuras joias terão que apresentar o formulário de inscrição obtido no clube, parecer cardiológico e documento oficial de identificação com foto. Além disso, será cobrada uma taxa de participação de R$ 20. 


Segundo dados cedidos pelo Tricolor, na última peneira promovida pelo clube, em março de 2018, foram inscritos 38 atletas da categoria sub-15 e 41 da categoria sub-20, dos quais, após peneira e fase de testes no clube, foram incorporados 7 ao elenco do time infantil (14/15 anos) e 4 da equipe de juniores (até 20 anos). 

“Este evento não faz parte das peneiras descentralizadas que estávamos promovendo em comunidades do Recife. Ela é exclusiva para reforçar o elenco das nossas divisões de base para as competições do próximo ano. Não temos limite de número de inscritos, todos que preencherem os critérios poderão participar. Nossa expectativa é que recebamos algo em torno de 50 garotos”, salienta Gondim. 

Em 2019, o Santa Cruz deverá participar de quatro competições com seus times sub-15 e sub-17, estando entre elas o Campeonato Pernambucano e a primeira edição da Copa do Nordeste das duas categorias. Outra competição de base que está no cronograma do clube é a Copa São Paulo de Futebol Júnior, torneio que voltará a ter a adesão do time coral.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Salários, oposição política e erro no futebol: Arnaldo Barros fala sobre situação do Sport

Salários atrasados

“O Sport está com dois meses atrasados. Nós vamos quitar um mês até esta sexta-feira. E esperamos trazer o mais rápido possível a notícia de que estamos regularizados. Nunca tivemos três meses atrasados. Nosso problema não diria que é de receita. Diria que é fluxo de caixa, que não está compatível com os pagamentos. Nós tínhamos um planejamento. Nós, por exemplo, vendemos Diego Souza e valor está bloqueado. Se você observar, é um valor que corresponde exatamente ao valor que estamos devendo. Nós temos que saber conviver e resolver isso. Administrar um clube da grandeza como é o Sport implica em saber resolver questões como essas.”

Tempo sem dar entrevista

“Eu não deixei de dar entrevista. Entendo que vocês estavam acostumados em ter mais contato mais próximo porque fui vice-presidente de futebol e cabe esse contato direto, tratando da principal atividade do clube que é o futebol. Passei mais de dois anos e nunca deixei de atender à ninguém. Hoje, estou em outra atribuição. Não posso me ater apenas ao futebol. É por isso que a gente tem um vice-presidente de futebol aqui. Ele vai atender a imprensa até porque está no dia a dia e melhor equipado para dar as informações que precisam. Em uma situação de cenário econômico adverso que estamos enfrentando em nosso país, preciso me entregar aos problemas que exigem maiores forças. Eu trabalho de 12 a 14 horas. Logo cedo, estou cheio de mensagens para resolver. Tenho até me afastado dos meus afazeres pessoais.”

Oposição política

“Estamos em uma campanha velada. Desarmei palanque e entrei de coração aberto (no mandato). Desarmei tanto que conversei com pessoas da oposição para participar do planejamento estratégico no ano passado. Chamei não só um, mas uns dez. Sempre recebi pessoas da oposição no Sport, no meu escritório. Sempre procurei atender a todos. Foram reuniões longas, de três a quatro horas. Falei sobre tudo. Quando fiz convite para Guilherme Beltrão aceitar, fui conversar com eles sobre isso. Reconheço neles (oposição) valorosos rubro-negros. Agora, não quer dizer que tenho que administrar tal qual as pretensões deles até porque eu fui eleito em outra plataforma.

Nesses anos tenho sofrido, uma oposição aguerrida. Não digo tanto dos ex-presidente, mas dos que estavam no entorno dele. Isso prejudica meu tempo porque tenho que me dedicar a resolver isso. Entendo que isso faz parte do processo democrático. Se for atender a tudo e rebater as críticas, não vou ter tempo para mais nada e não falo apenas da imprensa. Quando há situação de relevância institucional, eu convoco a imprensa e falo, como foi em abril quando relatei todas as questões do balanço financeiro.”

Candidatos de oposição

"No que diz respeito à candidatura de A, B ou C, não tenho o que comentar. É legítimo. Todo sócio em dia que respeite os limites estatutários pode ser candidatar. Como cada um vai se portar, depende dos valores de cada um. Eu fiz um campanha dentro do que acho respeitoso e ético. Quero registrar a lisura e a postura do meu adversário Wanderson Lacerda (na eleição que venceu). Já fiz o elogio e falo de novo. Foi um adversário ético, com um nível bom de debate.

Quanto ao fato de outros oito ex-presidentes estarem reunidos, eles não estão de agora não. Estão desde a minha campanha. Esse posicionamento tomado contrário é desde a gestão de (Humberto) Martorelli. Eles se colocaram com um reduto de oposição. Isso é legítimo. Não estou reclamando. Eles se reúnem desde sempre. Inclusive, eu fui para um almoço que passei mais de quatro horas. Repassei todos os esclarecimentos que me pediram. Ao final, imaginei que havia saciado a todos os esclarecimentos. Até porque me foi dito isso. Depois, recebi um mesmo documento formalizado para responder o que falei lá.

O que tenho dito é que isso não é com Arnaldo. É uma questão política. Houve uma alternância de poder e isso aconteceu na minha eleição porque o presidente Martorelli era uma pessoa nova no poder, mas o Conselho Deliberativo não era. Tanto que foi fazer oposição a Martorelli. Quando me candidatei, nós tivemos que compor um novo Conselho. Uma parte que se ajustou à minha gestão. Os outros dois terços era de gente nova, que nunca entrou em uma reunião. Esse antigo Conselho não aceitou essa renovação conquistada nas urnas."

Situação na Série A

“Eu acredito sempre. Nada no Sport é fácil. Tudo é feito com muita luta. Há quem fale que, se o Sport ganhar os confrontos diretos pela frente, o Sport sai da zona de rebaixamento. Junto com meus companheiros (nova diretoria), fizemos projeções e há realmente chances do Sport sair. É difícil, mas a gente acredita. Não é o momento de jogar a toalha. O momento é de trabalho. Se o tanto que está se fazendo não é suficiente, nós temos que fazer mais. Ninguém pode acusar essas direção de omissão. Nós estamos tentando colocar o Sport no caminho certo.”

Problemas na pausa para a Copa do Mundo

“O que deu errado não se resume a poucas palavras. Este mesmo elenco de agora contou com pequenas alterações que foram feitas para melhor. É um elenco que chegou a estar em segundo lugar antes da parada da Copa do Mundo. Não soubemos administrar bem a parada. Não é questão de ter tido amistoso ou não. Não tratamos a parada com a intensidade e inteligência necessárias para se projetar o retorno na mesma intensidade que vinha atuando. As outras equipes se movimentaram mais e tiveram mais sucesso. Temos que recuperar o tempo perdido para voltar a vencer os jogos. Não tem fórmula mágica. É preciso treinamento, trabalho intenso.”

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Em clima de seriedade, Marcão se apresenta no Sport: 'É sem brincadeira. E chegar na madeira'

Redação Superesportes /Diario de Pernambuco 

Contratado para uma das posições mais carentes do elenco, o volante Marcão foi apresentado no CT rubro-negro em clima de seriedade. Com respostas diretas, sem rodeios, o atleta de 27 anos, um dos destaques do Cuiabá na campanha que deu o acesso à Série B ao clube do Centro-oeste, colocou-se à disposição do técnico Eduardo Baptista para ajudar o Sport na luta contra o rebaixamento.

"Eu trago isso desde infância, essa seriedade, principalmente em momentos importantes e decisivos na vida. Pode ficar certo que isso reflete em campo. Não tem por que ser sério aqui e dentro de campo ficar de risadinha e alisando. É sem brincadeira. E chegar na madeira, sem aliviar", afirmou Marcão, em sua primeira resposta.

Titular da equipe do centro-oeste, o cabeça de área fez 12 partidas e conquistou o acesso à Série B. O atleta é uma indicação de Eduardo Baptista, que observou de perto o volante durante o Campeonato Paulista deste ano. Na ocasião, o treinador rubro-negro comandava a Ponte Preta, enquanto Marcão defendia a Linense, que mesmo rebaixada acabou chamando atenção de Eduardo.

"Ainda não tive a oportunidade de conversar com o professor, mas vou estar com a cabeça aberta para ouvir tudo o que ele tem a dizer", disse, emendando em seguida sobre a mudança de nível técnico que irá enfrentar. "A gente que vem da Série C e não só eu, mas outros da Série D, têm capacidade e qualidade para estar na Série A e outras competições mundo afora. Já imaginou a disposição de um cara da Série C brigando por vaga para jogar na Série A?", questionou.

A última partida do volante pelo Cuiabá foi na segunda-feira da semana passada, contra o Atlético-AC, quando sacramentou o acesso da sua equipe. Ele disputará vaga com os companheiros de posição Deivid, Fellipe Bastos, Neto Moura, Nonoca, Ferreira e Jair. Bem fisicamente, ele está pronto para estrear à sua maneira.

"Se na C, já estava dando carrinho para todo lado, imagine na A", disse. "Levo isso comigo de ser brincalhão, da resenha nos bastidores. Mas há momentos que tem que estar focado e concentrado. Não cabia vir aqui (na sala de imprensa) hoje, na situação que a gente se encontra e estar de sorrisinho e brincadeirinha", pontuou.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Roberto Fernandes mira 1º acesso em Brasileiro da carreira e fechar ano 'perfeito' no Santa Cruz

Daniel Leal /Diario de Pernambuco 

Há aproximadamente um ano, Roberto Fernandes era anunciado mais uma vez como técnico do Náutico. Retornava ao clube para uma missão que se mostrou de fato ser impossível: salvar o Timbu do rebaixamento à Série C. Embora com o objetivo não conquistado, o treinador ganhou um crédito de confiança para iniciar no Alvirrubro um ano que pode terminar praticamente perfeito para ele, só que, quem diria, pelo Santa Cruz. Afinal, Roberto tirou o Náutico de um jejum de 13 anos dando ao clube o título estadual deste ano. Demitido no início da Série C, assumiu o Tricolor em situação difícil. Hoje, está a um jogo de selar o retorno coral à Série B e fechar uma temporada inesquecível para si.

"Acho que seria um dos dois ou três melhores anos da minha carreira, sim. Sem dúvida. Mas em termos de ser pernambucano, e a gente sabe as dificuldades que se tem para se trabalhar no futebol em Pernambuco, não é fácil. O nível de exigência é muito grande. Aqui só o melhor é suficientemente bom. Tirar o Náutico de um jejum de 13 anos e colocar um gigante como o Santa de volta seria impagável", afirmou.

Apesar de ter no currículo mais de 20 clube somados em quase duas décadas de carreira, Roberto jamais conseguiu a façanha de conquistar um acesso de divisão nacional. "De Brasileiro, não tenho. Até porque das vezes que briguei pelo acesso foi na Série B, onde não tem mata-mata. De mata-mata, só conquistei acesso no Campeonato Paulista. Pela primeira vez na Série C que chego com a possibilidade de conquistar o acesso", disse.

Animado com a possibilidade de levar o Santa Cruz ao principal objetivo do ano, Roberto Fernandes trata o ano como histórico, em caso de resultado positivo no próximo domingo, contra o Operário, onde o Tricolor jogará por um empate pelo acesso. "O tamanho, a grandeza e tradição de um Náutico, que voltou a ser campeão após 13 anos, e o tamanho, a grandeza e tradição do Santa Cruz disputando e conquistando um acesso, você contribuir com as duas equipes a alcançar seus objetivos tão desejáveis é um milhão de vezes maior que a satisfação pessoal. É um bem que você faz que só no futuro vai entender e quão importante foi", pontuou.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Relação com Eduardo Baptista, cobranças e bola parada: Marlone avalia volta do técnico

Brenno Costa /Diario de Pernambuco 

Marlone é um dos oito jogadores do elenco que já trabalhou com Eduardo Baptista e é tratado como um homem de confiança do técnico. O conhecimento mútuo faz o meia saber comentar cada detalhe das ideias e da postura do comandante. Entre eles, o estilo tático, o trabalho duro nas bolas paradas e, claro, a cobrança direta por melhor rendimento que, para o atleta, já pode começar a ser visto no duelo contra o Santos, às 16h deste sábado, na Vila Belmiro.

Nos dois treinos que teve antes da partida de reestreia, Eduardo Baptista chamou atenção, de fato, pelas exigências aos jogadores. Direto e falando alto para que todos tivessem como ouvir. O jeito do treinador parece ter sido assimilado sem problemas. Até porque Marlone já se acostumou a ouvir bastante.

“Isso é mais da característica dele. Ele é um cara bem vibrador. Não só aqui porque, às vezes, dá impressão de que o cara quer mostrar para a imprensa e se importar. Lá no vestiário é um cara que sempre cobrou. Em 2015, eu tomei bronca para caramba (risos), o grupo todo, Diego (Souza), André. Ele não tem dessa. Vai querer sempre o melhor para equipe. Isso é dele. Está sempre cobrando o melhor da equipe. Isso é bom para nós estarmos ligados em cada detalhe da partida”, disse.

Marlone também foi tratado por Eduardo Baptista como um jogador que tem confiança e uma boa relação particular. Diante disso, ele voltou à equipe. O meia agradece. “O Eduardo é um cara que sou muito grato. Acho que tivemos um ano maravilhoso em 2015 com ele no comando. Ele chegou agora, mas já conhece o Sport, o clube. Aqui fez amigos. Ficou anos. A gente sabe como ele trabalha nas linhas, fechando aquele passe por dentro. Ele também cobra e vocês puderam ver no treino. Creio que a gente pode estar a cada dia evoluindo com ele.”

Bola parada

Marlone também trata de outro aspecto fundamental da preparação de Eduardo Baptista para o jogo contra o Santos. Antes da viagem, o treinador focou bastante no posicionamento do time nas bolas paradas, principal na parte defensiva. Para o jogador, essa é mais uma característica que marca o estilo do técnico.

“Hoje, a bola parada é fundamental. Decide uma partida. Então, o Eduardo sempre trabalhou isso enquanto estive com ele. Em 2015, Foi um ano que a gente não tomou tantos gols. Esperamos dar sequência ao trabalho e esperamos fazer um grande partida amanhã com esses ajustes.”

terça-feira, 14 de agosto de 2018

CBF define datas para jogos das quartas de final da Série C: confira as datas e os horários

 Klisman Gama /Especial para o Diario

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu na tarde desta segunda-feira as datas e horários dos duelos das quartas de final da Série C. O Náutico abrirá o mata-mata contra o Bragantino neste sábado, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, às 16h. Já o Santa Cruz encara o Operário-PR no Arruda, às 17h. Os jogos da volta de ambos serão no dia 26, um domingo. O Timbu jogará na Arena de Pernambuco às 17h, enquanto o Tricolor decide a vaga às 15h, em Ponta Grossa.

As partidas terão horários bastante propícios para que a torcida ‘chegue junto’ e empurre sua equipe em busca do acesso para a Série B. O Alvirrubro se classificou na primeira colocação do Grupo A e vem de empate diante do Remo, em Belém-PA, por 1 a 1, e vem embalado com dez jogos de invencibilidade. Além disso, o resultado que serviu para consolidar a liderança da chave. Os Corais venceram o Salgueiro em casa, por 1 a 0, e visavam a segunda colocação. Entretanto, como o Atlético-AC venceu o ABC em Natal, por 1 a 0 também, restou ao Santa a terceira posição. O primeiro jogo no Arruda pode ser fundamental para construir a vantagem a ser levada até o Paraná.

Transmissão

Com o fim do Esporte Interativo, a CBF TV, canal da Confederação no Youtube, assumiu as transmissões da última rodada da Série C.  E para as quartas de final, o mesmo esquema implementado se repetirá. Os dois duelos das equipes pernambucanas serão transmitidos, via streaming, pelo canal. 

Jogos

Bragantino x Náutico - Estádio Nabi Abi Chedid, 18/08, 16h
Náutico x Bragantino - Arena de Pernambuco, 26/08, 17h

Santa Cruz x Operário-PR - Estádio do Arruda, 19/08, 17h
Operário x Santa Cruz - Estádio Germano Krüger, 26/08, 15h

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Artilharia, classificação do Santa Cruz e cautela para evitar lesão: Pipico avalia última rodada

Daniel Leal /Diario de Pernambuco 

 Com o Santa Cruz virtualmente classificado às quartas de final da Série C, apenas dois titulares estarão em campo no jogo contra o Salgueiro, no próximo sábado, válido pela última rodada do Brasileiro. O único de linha será o atacante Pipico - além dele, vai ao jogo o goleiro titular Ricardo Ernesto. Com média de um gol por partida, o atleta de 33 anos se tornou peça fundamental do Tricolor na competição. Voltando de suspensão e sem querer perder a oportunidade de se manter na briga pela artilharia do campeonato, o centroavante coral demonstrou sede por seguir balançando as redes e conseguindo as vitórias. Porém, sem deixar a cautela de lado para não perder a cereja do bolo: os mata-matas e decisões pelo acesso.

Pipico marcou seis gols em seis partidas no Brasileiro. Com seis gols até aqui, está a quatro do artilheiro Caio Henrique, do Botafogo-SP. Não em vão, faz questão de estar em campo contra o já rebaixado Carcará, no Arruda, a fim de tentar melhorar ainda mais a média de gols e de ajudar o time a terminar a primeira fase na vice-liderança da competição.

“Matematicamente, ainda não estamos classificados. Mas só se acontecesse o impossível, uma tragédia para nos tirar essa classificação. Então, vamos pensar no Salgueiro, vencer e buscar essa segunda colocação para ter a vantagem de poder decidir em casa no mata-mata. É importante seguir vencendo e manter a autoestima nessa reta final”, disse. “Sei que é difícil, mas espero manter minha média de um gol por jogo. Nada é impossível. Conto com a ajuda dos companheiros em busca dessa artilharia também”, acrescentou.

Para se ratificar a classificação, o Santa Cruz precisa de apenas um empate contra o Carcará. Ainda caso seja derrotado, o Confiança, quinto colocado, precisaria tirar uma diferença de nove gols de saldo e o Botafogo-PB, quarto colocado, precisaria pelo menos de um empate em casa com a Juazeirense. Para terminar como vice-líder, o Tricolor precisa vencer e torcer por um tropeço do Atlético-AC, contra o ABC, em Natal.

Por ter se tornado um jogador indispensável para o sucesso coral, Pipico poderia até ser poupado como a maioria dos jogadores do elenco. Porém, acionado por desejo próprio atestado pelo treinador, vai para o jogo ciente da importância em se manter apto para o futuro próximo. “Ninguém tem tirado o pé e acho ninguém vai tirar nesse jogo. Mas claro que precisamos ter um pouco de cautela para não se prejudicar e ficar de fora do principal jogo”, afirmou.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Idosos atendidos pela LBV participam da 11ª edição dos Jogos da Pessoa Idosa em Recife


Animação e disposição não tem idade, a prova disso é a alegria dos idosos que integram o programa Vida Plena da LBV, na capital pernambucana, eles participaram da 11ª Edição dos Jogos da Pessoa Idosa, com o tema “Idoso ativo: é proibido cochilar”. O evento é promovido pela Prefeitura da Cidade do Recife, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, cujo objetivo é promover competições esportivas adaptadas aos idosos, além de oficinas, palestras, caminhada e mostra cultural.
Os Jogos da Pessoa Idosa, aconteceu nos dias 26 de julho a 04 de agosto, no qual os idosos da LBV, participaram e competiram nas modalidades esportivas adaptadas como basquete, vôlei, golfe, estafeta, hóquei, pelota, arremesso de arco e os jogos de dama e dominó.
A senhora Edith Severina Santana, 77 anos assistida pelo programa Vida Plena da LBV, participou do evento esportivo nas modalidades, caminhada, estafeta e o voleibol. Ela destaca “Na LBV participo de todas as atividades físicas, pois gosto de fazer exercícios, é muito bom para a saúde e nos sentimos mais dispostos”, declara.
O educador de educação física da LBV, Ricardo Almeida, explicou a importância da prática dos exercícios físicos. “Atividades físicas é importante em qualquer idade, sobretudo na terceira idade, por que, a partir dos 60 anos, perdemos massa muscular e óssea, e com isso, acumula tecido adiposo (gordura). Mas, com a prática de esportes podemos retardar a perda dessas capacidades”, esclarece.
O exercício físico ele não só ajuda na manutenção de força, coordenação motora, equilíbrio e agilidade. Contudo, melhora também a coordenação cognitiva dos idosos. O senhor Aluísio Passos Gomes, 81 anos, atendido pelo programa Vida Plena da LBV, participou da modalidade esportiva do jogo de dama. “Eu gosto de jogos de tabuleiro, pois estimulam a memória é uma forma poderosa de manter o cérebro sempre jovem”, afirmou feliz.
 O educador físico da LBV, Ricardo, ressaltou também que mais importante do que o resultado, “foi a participação e a integração de todos os idosos do Vida Plena da LBV, e ainda, o fortalecimento de vínculos e o surgimento de novas amizades”.
Na capital pernambucana, o programa Vida Plena da LBV, beneficia centenas de idosos, oferecendo-lhes um espaço para atividades que fortalecem a cidadania e de vínculos, como também ações para a melhoria da qualidade de vida, por meio de atividades esportivas, musicais e artesanais. 
O Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade no Recife está localizado na Rua dos Coelhos, 219, Coelhos. Informações sobre o trabalho da Instituição podem ser obtidas pelo telefone (81) 3413-8601.

Fonte: LBV

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Antes de jogo decisivo contra Chapecoense, Sport quita parte de dívida com elenco

  Brenno Costa /Diario de Pernambuco
 Em meio a um momento delicado na Série A, com uma sequência de quatro derrotas seguidas, o Sport vive um clima de decisão para o jogo contra a Chapecoense, na Ilha do Retiro, às 19h do próximo domingo. Ciente deste cenário, a diretoria do clube conseguiu pagar uma parte da dívida que tem com o elenco. Nesta quinta-feira, foi efetuado o depósito do direito de imagem referente ao mês de julho. Agora, ainda está em aberto o valor referente ao da carteira de trabalho.

O assunto salários atrasados tem sido recorrente nesta temporada dentro do Sport. Jogadores e o treinador Claudinei Oliveira - além de Nelsinho Batista que pediu demissão no início do Brasileiro - trataram do tema abertamente. Nesta semana, por exemplo, o volante Fellipe Bastos revelou que as pendências têm se repetido desde o início do ano. O jogador admitiu o incômodo com a situação, porém garantiu que o elenco não está de “corpo mole”.

“Desde do início do ano, o salário está atrasado no Sport. A gente entende que é uma dificuldade que o clube passa, mas a gente tem que trabalhar com isso. Os mesmos jogadores que estavam com os salários atrasados antes da parada da Copa conseguiram 19 pontos e foram apontados como o time sensação, como foi dito, são os mesmos que estão aqui hoje. A gente sabe onde está errando, é nisso que temos que melhorar. Salário é muito importante, temos que receber, mas não estamos fazendo corpo mole algum por causa disso”, disse o jogador.

Diante deste cenário de questionamentos, diretoria, jogadores e comissão técnica decidiram fechar as portas do CT para a imprensa nesta quinta-feira assim como na última quarta. Com 19 pontos, o Sport ocupa a 13ª posição da Série A e está a três pontos da zona de rebaixamento.

terça-feira, 3 de julho de 2018

Seleção Brasileira volta a trabalhar em Sochi com Douglas Costa liberado pelo DM

postado em 03/07/2018 13:27 / atualizado em 03/07/2018 13:58

 As lesões não parecem mais ser um problema para Tite antes do duelo com a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Nesta terça-feira, no dia seguinte ao triunfo por 2 a 0 sobre o México, em Samara, a seleção brasileira retomou a sua rotina de atividades em Sochi com a presença do meia-atacante Douglas Costa, recuperado de contusão, assim como do lateral-esquerdo Marcelo.

Douglas Costa sofreu lesão na coxa direita nos minutos finais da vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica, em 22 de junho, e vinha desfalcando a seleção brasileira desde então. Nesta terça-feira, porém, ele participou sem qualquer restrição da atividade dos reservas de Tite, ficando à disposição do treinador para o duelo de sexta-feira com a Bélgica, às 15 horas (de Brasília), em Kazan, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

A presença de Douglas Costa significa que Tite não deverá ter qualquer desfalque por lesão para o seu próximo duelo na Rússia, situação bem diferente da enfrentada em compromissos recentes, pois, além do jogador da Juventus, o treinador já não pôde contar em outros momentos com o lateral-direito Danilo e o meio-campista Fred.

O treino da seleção nesta terça-feira em Sochi teve em campo apenas a presença dos reservas, além do goleiro Alisson. Os titulares no triunfo sobre o México ficaram na academia, onde realizaram somente trabalhos regenerativos. Para os suplentes, o treinamento também acabou sendo bem leve e em sua maior parte concentrado em cruzamentos e finalizações.

A atividade da seleção também contou com a presença do lateral-esquerdo Marcelo, que foi poupado por Tite do confronto com o México por causa das dores na região lombar que o tiraram do confronto com a seleção da Sérvia logo em seus minutos iniciais, sendo substituído por Filipe Luís nos dois últimos jogos do Brasil. Mas a tendência é a de que ele retorne ao time contra a Bélgica.

Até por ser uma atividade no dia seguinte a um triunfo, o trabalho desta terça da seleção contou com a presença de diversos familiares dos jogadores, que confraternizaram com eles dentro de campo, ao final da atividade.

A seleção volta a treinar em Sochi às 11 horas (de Brasília) desta quarta-feira, na sua última atividade na cidade, o seu "quartel-general" durante a Copa. No dia seguinte, o time nacional segue para Kazan, onde treinará para o confronto de sexta-feira com a Bélgica. O único desfalque será o volante Casemiro, suspenso, sendo que a sua vaga deverá ser ocupada por Fernandinho.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Jogos da Copa do Mundo 2018 - 23/06/2018

Grupo G

Bélgica x Tunísia - 9h (horário de Brasília)

Grupo F

Coreia do Sul x México - 12h (horário de Brasília)

Alemanha x Suécia - 15h (horário de Brasília)

terça-feira, 19 de junho de 2018

A LBV inicia a Campanha Faça um gol pela infância brasileira! - edição 2018


Fazer do Brasil campeão é o que desejam os ídolos do futebol nacional e também todos os brasileiros. Por isso, mais uma vez, a Legião da Boa Vontade (LBV) também entra em campo, com seu time solidário, para jogar por um Brasil vencedor e ajudá-lo a conquistar um título que ainda lhe falta: o de país justo.

Para isso, a LBV inicia sua campanha Fiz um gol pela infância brasileira!, iniciativa realizada tradicionalmente a cada edição da Copa do Mundo da Fifa, que visa mobilizar doações para a manutenção dos programas socioeducacionais que a Instituição realiza em todo o país. Essas ações oferecem educação, cultura, saúde, alimentação e capacitação profissional, melhorando as condições de vida de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos em situação de pobreza.

Nesta edição, a campanha recebeu a adesão de jogadores que autografaram uma camisa, a qual será entregue a colaboradores da Instituição que fizerem doações para a iniciativa. Destacam-se os jogadores: Miranda (zagueiro), do Internazionale, de Milão; Marcelo (lateral-esquerdo), do Real Madri, da Espanha; Cássio (goleiro), do Corinthians; Roberto Firmino (atacante), do Liverpool, da Inglaterra; Renato Augusto (meia), do Beijing Guoan, da China; Rodrigo Caio (zagueiro), do São Paulo; Eduardo Sacha (atacante), Gabigol (atacante), David Braz (zagueiro) e Vanderlei (goleiro), do Santos; Fábio Santos (lateral-esquerdo), Róger Guedes (atacante), Victor (goleiro) e Erik (atacante), do Atlético Mineiro; Fábio (goleiro), do Cruzeiro; Marcos Júnior (atacante) e Gum (zagueiro), do Fluminense; Marcelo Grohe (goleiro), do Grêmio; Rildo (atacante), Yago Pikachu (lateral-direito) e Wagner (meia), do Vasco da Gama.

A campanha ainda homenageia vários ídolos do esporte que também assinaram a camisa: Pelé, Careca, Rivellino, Clodoaldo, Paulo Roberto Falcão, Ronaldo Fenômeno, Zico, Dunga, Taffarel, Marcos e Caio Ribeiro (comentarista).

A LBV convoca você para se juntar a este time em prol da construção de um país justo, solidário e com oportunidades iguais para todos. Sua ajuda é fundamental. Acesse www.lbv.org/digasim e vista esta camisa para viver toda a emoção que a Solidariedade oferece. Vamos ganhar essa partida!
.

Fonte: LBV

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Tabela Série C - Atualizada dia 04/06/2018

Grupo A

ClassificaçãoPJVEDSGGGC%

157502713671.4

147421714766.7

11732207752.4

107313210847.6

10724129747.6

97304-35842.9

87223-461038.1

77214-35833.3

77214-481233.3

77214-45933.3

Grupo B

ClassificaçãoPJVEDSGGGC%

147421610466.7

14742128666.7

127331410657.1

11732228652.4

11732226452.4

10731339647.6

87223-16738.1

77214-561133.3

57124-33623.8

47115-1041419.0

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Foi divulgada a numeração das camisas da seleção brasileira para a copa de 2018

Segue a lista:

  1. Alisson
  2. Thiago Silva
  3. Miranda
  4. Geromel
  5. Casemiro
  6. Filipe Luís
  7. Douglas Costa
  8. Renato Augusto
  9. Gabriel Jesus
  10. Neymar
  11. Coutinho
  12. Marcelo
  13. Marquinhos
  14. Danilo
  15. Paulinho
  16. Cássio
  17. Fernandinho
  18. Fred
  19. Willian
  20. Firmino
  21. Taison
  22. Fagner
  23. Ederson

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Crise de abastecimento afeta planos do Sport, que tenta mudar jogo contra o Palmeiras


Por intermédio do executivo de futebol, Klauss Câmara, o Sport tenta junto à CBF a alteração no horário da partida das 19h para as 21h, ou até mesmo o adiamento do jogo para uma data posterior.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Contra sina em mata-mata no Nordestão, Santa Cruz busca classificação à semifinal contra ABC

Klisman Gama /Especial para o Diario 

 O retrospecto do Santa Cruz em mata-matas da Copa do Nordeste, quando sai com um resultado adverso no primeiro jogo, não é nada favorável ao Tricolor. Nas duas ocasiões em que perdeu a partida de ida, não conseguiu reverter o placar. A oportunidade de mudar essa sina será nesta terça-feira, diante do ABC, às 19h. O Tricolor foi derrotado por 1 a 0, em Natal, e precisa vencer por dois gols de diferença no Arruda para ir à semifinal. Na competição, há o gol qualificado, ou seja, caso o ABC marque um gol, o Santa precisa vencer por 3 a 1 para conquistar a vaga. Vitória por 2 a 0 dá a classificação aos corais. Triunfo por 1 a 0 leva a partida para as penalidades.

Caso avance de fase, o Tricolor receberá uma premiação de R$ 550 mil. Para tanto, terá que superar alguns desfalques. O goleiro Tiago Machowski, suspenso, cede lugar a Ricardo Ernesto. Danny Morais, recuperando-se de uma cirurgia no nariz, segue vetado. O lateral-esquerdo Allan Vieira, os meio-campistas Maicon Assis e Valdeir, além do atacante Halef Pitbull, também estão fora porque não foram inscritos a tempo no regional.

As ausências, porém, não serão os únicos problemas para o time do técnico Paulo César Gusmão. Vindo de uma derrota para o Botafogo-PB, de virada, em casa, a equipe precisará ter sangue frio para lidar com a impaciência da torcida. Com a pressão interna. Nesse cenário desfavorável pela própria desvantagem no placar, há ainda o histórico em mata-matas no Nordestão, que não joga a favor.

A primeira ocasião de mata-mata em que o Santa Cruz foi derrotado no jogo de ida foi em 1997. O Santa Cruz enfrentou o Vitória e perdeu a primeira partida por 2 a 0. Na volta, outra derrota, desta vez por 4 a 3. A outra situação em que o cenário se repetiu foi no Nordestão de 2014, quando foi eliminado pelo Sport. Revés na Ilha do Retiro por 2 a 0, e no Arruda, 2 a 1 para os rubro-negros. Há ainda o caso de 1994, quando foi eliminado pelo Bahia em jogo único nas quartas de final: derrota por 2 a 1.

Para que o cenário não se repita, os atletas pregam recuperação e foco na partida, sem abdicar do ataque. “A gente tem que jogar com paciência e tranquilidade, porque os caras vão vir fechados e a gente tem que dar o nosso melhor, além de fazer gols. Então, a gente vai buscar a todo tempo fazer o gol para ganhar o jogo”, disse o atacante Robinho. “Aquela derrota (para o ABC, em Natal) foi bastante dolorida, porque a gente jogou no segundo tempo em cima dos caras.  Então é estar bem focado para que a gente não possa errar e consiga fazer os gols para passar de fase”, completou o atacante, que é o artilheiro do Santa Cruz na temporada, com seis gols. 

Penalidades

Com a possibilidade da decisão ir para os pênaltis, o Tricolor treinou tiros livres nesta segunda-feira. Dos 10 pênaltis que a reportagem do Superesportes presenciou, Ricardo Ernesto defendeu quatro. “É uma característica que eu tenho me saído bem. Já passei por três decisões de pênaltis na minha carreira e em tempo normal foram cinco ou seis pênaltis defendidos, onde eu pude ajudar a equipe", ressaltou, antes de demonstrar sua confiança. "Me sinto bem tranquilo nessa questão. Se for para os pênaltis, é uma oportunidade que o goleiro tem de demonstrar o trabalho e se sobressair. Mas espero que a gente consiga decidir sem levar para as penalidades e sair classificado", finalizou.

ABC

Assim como o Santa Cruz, o ABC chegou para o jogo desta noite após uma derrota pesada no último final de semana. Os potiguares foram ao sertão pernambucano e acabaram goleados pelo Salgueiro, então lanterna da competição, por 3 a 0. “Posso creditar (a derrota) à cabeça muito na terça-feira, na decisão que a gente vai ter pela frente”, disse o técnico Ranielle Ribeiro. “Vamos corrigir os erros para que nosso grupo não possa cometer os mesmos erros contra o Santa Cruz e não sermos surpreendidos da forma como fomos”, completou. O treinador contará no Arruda com o retorno do volante Anderson Pedra, poupado diante do Carcará

O retrospecto do Santa Cruz em
mata-matas na Copa do Nordeste

12 participações no Nordestão
8 vezes avançou aos mata-matas
12 vezes esteve em uma fase mata-mata (quartas de final, semi ou final)
10 vitórias
3 empates
9 derrotas
3 vezes saiu perdendo a primeira partida da fase eliminatória
0 nunca conseguiu reverter o placar desfavorável no jogo de ida

1994
Jogo único: perdeu para o Bahia por 2 a 1 nas quartas de final.

1997
Eliminado nas quartas de final para o Vitória, perdendo o primeiro jogo por 2 a 0 e a volta por 4 a 3.

2014
Perdeu para o Sport 2 a 0 na Ilha do Retiro e voltou a ser derrotado no Arruda por 2 a 1.

Ficha de jogo

Santa Cruz 
Ricardo Ernesto; Vítor, Sandoval, Augusto Silva e Henrique Ávila; Charles, Carlinhos Paraíba, Arthur Rezende e Geovani; Robinho e Robert. Técnico: PC Gusmão.

ABC
Rodrigo Carvalho; Arez, Tonhão, Danrlei e Igor; Anderson Pedra, Felipe Guedes, Marcos Júnior e Higor Leite; Luan e Leandrão. Técnico: Ranielle Ribeiro.

Local: Arruda, no Recife.
Data: 22/05/2018.
Horário: 19h.
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL).
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araujo e Rondinelle dos Santos Tavares (ambos de AL).
Ingressos: R$ 10 (preço único).

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Sport confirma jogo contra o Corinthians na Arena e anuncia ingressos a partir de R$ 10


As áreas do estádio que, na Ilha, eram sociais, arquibancada frontal e arquibancada sede equivalem, respectivamente, aos setores leste inferior, sul inferior e leste superior na Arena. Para associados ao Rubro-negro, os ingressos estão a partir de R$ 10; para os não associados, as entradas podem ser adquiridas a partir de R$ 15. 

Cronograma de vendas

Check-in online

Até o sábado (19)

Venda online

Até às 16h do domingo (20)

Bilheterias

Quarta-feira (16)
Bilheterias sociais: das 9h às 17h – exclusivas para retirada gratuita de ingresso dos sócios que atendem aos requisitos da campanha #QueroAIlhaLotada (saiba mais aqui).

Quinta-feira (17)
Bilheterias sociais (para retirada de gratuidades) e do arco: das 9h às 17h

Sexta-feira (18)
Bilheterias sociais (para retirada de gratuidades) e do arco: das 9h às 17h

Sábado (19)
Bilheterias sociais (para retirada de gratuidades) e do arco: das 9h às 17h
Bilheteria Norte, na Arena de Pernambuco, para a torcida visitante: das 9h às 17h

Domingo (20)
Bilheteria Sul, da Arena de Pernambuco, para a retirada de gratuidades: das 9h às 14h
Bilheteria Sul, da Arena de Pernambuco, para torcida do Sport: das 9h às 17h15
Bilheteria Norte, na Arena de Pernambuco, para a torcida visitante: das 9h às 17h15

Valores dos ingressos

Sócios
Leste Inferior – R$ 15
Sul Inferior – R$ 10
Norte Inferior – R$10
Leste Superior – R$ 15
Oeste Inferior – R$ 30
Deck Oeste – R$ 30
Camarote (completo) – R$ 1.000

Não-sócios
Leste Superior – R$ 15
Sul Inferior –R$ 40
Norte Inferior – R$ 40
Oeste Inferior – R$ 80
Deck Oeste – R$ 80
Camarote (completo) – R$ 2.000

Proprietários de cadeira
Oeste Inferior – R$ 30
Deck Oeste – R$ 30

Proprietários de camarote
Oeste Inferior – R$ 30
Deck Oeste – R$ 30
Camarote – R$ 60

Sócios-proprietários de cadeira ou camaroteOeste Inferior – R$ 15
Deck Oeste – R$ 15
Camarote – R$ 30

Visitante
Norte Superior – R$40

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Náutico joga por goleada sobre a Ponte para avançar na Copa do Brasil e faturar R$ 2,4 mi


Outro exemplo que pode servir como inspiração foi a vitória no clássico sobre o Sport por 3 a 0, também pelo Estadual. No entanto, nesse caso, o máximo que os alvirrubro conseguiriam seria levar decisão para a disputa para os pênaltis. Já pelo lado da Ponte Preta, das cinco derrotas no ano, nenhuma foi por diferença maior que um gol.

"A gente sabe que o resultado foi ruim para a gente, mas também não é impossível a classificação. Vamos trabalhar, com os pés no chão, em busca da vitória e da classificação", pontuou o lateral esquerdo Kevyn, que mais uma vez será titular da equipe. Isso porque o recém-contratado Tiago Costa ainda precisa se recondicionar fisicamente.

"Acho que a gente tem que pensar um passo de cada vez. Não podemos pensar no quarto gol antes de fazer o terceiro, o segundo e o primeiro. Temos que trabalhar sério para as coisas acontecerem naturalmente", completou o jogador.

Para a partida, Roberto Fernandes não poderá contar com o atacante Ortigoza, destaque do time na temporada. Isso porque o jogador precisou viajar de última hora para o Paraguai devido a problemas pessoais. Com isso, Wallace Pernambucano volta a ganhar uma oportunidade como centroavante da equipe. Posição onde rendeu melhor na temporada. Nos últimos jogos vinha atuando como meia.

Além disso, o treinador deve promover outras mudanças na equipe. Precisando de uma postura ofensiva, o comandante timbu vai abrir mão do esquema com três volantes utilizado no clássico diante do Santa Cruz, na estreia da Série C. Assim, o meia Júnior Timbó volta à equipe.

No setor defensivo, por conta de desgaste com a maratona de jogos (a partida contra a Ponte será a 29ª do time na temporada) há também possibilidade de mudanças. Assim, o zagueiro Breno Calixto, ausente há mais de um mês por conta de uma lesão muscular, tem chance de ganhar uma nova oportunidade.

Ficha do jogo

Náutico
Bruno; Thiago Ennes, Camutanga, Breno Calixto (Camacho) e Kevyn; Negretti, William Gaúcho e Júnior Timbó; Robinho, Wallace Pernambucano e Rafael Assis. Técnico: Roberto Fernandes.

Ponte Preta
Ivan, Igor, Renan Fonseca, Reynaldo e Marciel; Nathan, Paulinho e Lucas Mineiro; Felipe Saraiva, Orinho e Felippe Cardoso. Técnico: Doriva.

Local: Arena de Pernambuco
Horário: 21h45
Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)
Assistentes: Fabio Pereira e Cipriano da Silva Sousa (ambos do TO)
Ingressos: R$ 50 (setor oeste), R$ 25 (estudante) e R$ 20 (sócio); R$ 30 (setor sul inferior), R$ 15 (estudante e sócio)

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Série C: regulamento, novidades, rivais e como chegam Náutico, Salgueiro e Santa Cruz


Apesar de as Séries A e B pararem durante a Copa do Mundo, a Série C disputará as atenções com o meio torneio do mundo. Corrida, Terceira Divisão tem a final agendada para o dia 23 de setembro. Apontado como principal favorito do estado a conquistar o acesso, o Náutico vem em alta na temporada. Após conquistar o título do Estadual após quase 14 anos, a equipe do comandada pelo técnico Roberto Fernandes chega com uma espinha dorsal sólida para a disputa e tem no atacante paraguaio Ortigoza a principal peça da equipe. 

Embora com o time ajustado, o treinador alvirrubro não quer saber de favoritismo. Com pés no chão, ele prevê dificuldades na largada timbu no Brasileiro sobretudo pelo calendário apertado do time. “Independentemente de o Náutico ter se sagrado campeão e o Santa não ter ido para final de campeonato, isso não entra em campo. Não vai entrar aqui a ideia de que teremos algum favoritismo. Clássico não tem isso e quem está na dificuldade, se supera”, disse Roberto, após a derrota para a Ponte Preta, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Sem entrar em campo desde o dia 28 de março, quando venceu o Confiança pelo Nordestão, o Santa Cruz vem passando por uma espécie de intertemporada. Dias de treinos e ajustes para uma equipe que não vem fazendo um bom ano até aqui. Eliminado precocemente do Estadual e da Copa do Brasil, o Tricolor obteve sucesso apenas na Copa do Nordeste. O clube aposta na reformulação do elenco e na manutenção do confiante técnico Júnior Rocha para chegar ao acesso. “O Santa Cruz é um dos favoritos, mas nada disso garante que nós vamos ser campeões ou obter o acesso. Vai depender dos resultados, do dia a dia. Tem muita coisa para acontecer ainda”, destacou o treinador coral.

O Carcará, por sua vez, faz uma das temporadas mais fracas dos últimos anos. Foi o lanterna do grupo no Nordestão. Em contrapartida, chegou à semifinal do Estadual e avançou à segunda fase da Copa do Brasil. Após ficar a um ponto de ir ao mata-mata na Série C do ano passado, o Salgueiro acabou passando por grande reformulação. Perdeu 16 atletas e com eles toda a base do time que se consolidou como a quarta força de Pernambuco nos últimos anos. Ciente das limitações, o presidente José Guilherme é modesto nas pretensões. “De acordo com o campeonato vamos ver o que dá. Vamos entrar pensando em permanecer. Depois que permanecer, a gente vê onde pode chegar”, disse.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Primeiro estrangeiro campeão pelo Náutico, paraguaio Ortigoza entra para história timbu

João de Andrade Neto /Superesportes 

 Paraguaio da capital Assunção, José María Ortigoza Ortiz precisou de pouco mais de dois meses para fazer história em Pernambuco. Principal nome da conquista que colocou um ponto final na dolorosa espera de 13 anos sem títulos alvirrubros, o atacante, que assinalou um gol no duelo deste domingo, na Arena, também está eternizado por outro aspecto. Nos 117 anos do clube, Ortigoza se tornou o primeiro jogador estrangeiro campeão pelo Náutico.

Em toda a sua história, foram poucos os jogadores nascidos fora do Brasil a virarem ídolos do Timbu. O último, o uruguaio Acosta, vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2007, com 19 gols. Porém, com a faixa inédita no peito, Ortigoza passa a ter um lugar de destaque nessa galeria. Fazendo jus a toda a expectativa criada em torno de sua contratação.

"Foi perfeito (o casamento com o Náutico). Agradeço a Deus pela oportunidade de jogar aqui e conquistar mais esse título", disse o atleta após o fim da partida sem deixar de exaltar o grupo de jogadores. "A parte mais forte é o elenco. Se você vir a tabela, todos os jogadores participaram da competição. O elenco é muito forte e todo o time está de parabéns."

Com o Náutico tendo poucos recursos para investir no início da temporada, e uma folha salarial na casa dos R$ 200 mil, o acerto com o paraguaio só foi possível graças a ajuda de um grupo de investidores alvirrubros. Mesmo assim, no dia 1 de fevereiro, o anúncio da contratação, a única das 19 feitas pelo clube feita pelo presidente Edno Melo, surpreendeu.

Com passagens no futebol brasileiro por Cruzeiro e Palmeiras, Ortigoza desembarcava no Recife trazendo na bagagem dois títulos paraguaios pelo Cerro Porteño, em 2013 e 2015, sendo no último um dos artilheiro da competição, com 17 gol. A desconfiança se dava, no entanto, por uma grave lesão no joelho, sofrida em 2016, que o tirou dos gramados por cinco meses. No ano passado, foram 20 partidas e cinco gols marcados.

Mas logo em sua estreia pelo Timbu, Ortigoza tratou de dissipar qualquer dúvida e começava a se tornar ídolo da torcida ao sofrer e converter um pênalti e dar uma assistência na vitória por 2 a 1 sobre o Afogados, pela 8ª rodada do Estadual. Tudo isso com apenas 25 minutos em campo, após ser acionado no segundo tempo.

Ao todo, somando também jogos pela Copa do Nordeste e Copa do Brasil, onde também foi decisivo, Ortigoza realizou dez partidas com a camisa do Náutico, com seis gols marcados. E um título conquistado. Esse, um número suficiente para tornar Ortigoza eterno na história alvirrubra.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Torcida chega junto e compra 17 mil ingressos antecipadamente para final do Pernambucano

Redação Superesportes /Diario de Pernambuco 

No primeiro dia de vendas abertas para o público geral, o Náutico fechou a quinta-feira com 17 mil ingressos vendidos de forma antecipadas para o segundo e decisivo jogo da final do Campeonato Pernambucano, contra o Central no dia 8 de abril, na Arena de Pernambuco. Ao longo do dia o que se viu nas redondezas do estádio dos Aflitos foi uma longa fila. Os alvirrubros enfrentaram muita chuva e tiveram que ter um pouco de paciência para adquirir as entradas. Vale lembrar que, nos dois dias anteriores, com vendas exclusivas apenas para sócios, já haviam sido vendidos 7 mil ingressos.

O clube informou também que três setores não têm mais entradas disponíveis. São eles: Setor Oeste, Leste e Sul inferiores. Os demais ainda contam com disponibilidade. Além dos Aflitos, os alvirrubros  poderão comprar as entradas nos pontos descentralizados, além do aplicativo para celular. No local do jogo, a comercialização somente será feita no dia da partida, até o início do segundo tempo. Todos os setores da arena estão disponibilizados para a partida, com o Norte Superior reservado para a torcida do Central. 

INGRESSOS PARA CARUARU
Para a primeira decisão, no Luiz Lacerda, em Caruaru, o Central disponibilizou inicialmente 12 mil ingressos. Porém, caso a procura seja grande, mais entradas serão disponibilizadas ao público. O setor do tobogã do estádio está reservado para a torcida Alvirrubra, com bilhetes custando R$ 50. Já para o torcedor centralino, há uma promoção na área atrás do gol, por R$ 30. A entrada da arquibancada frontal do Luiz Lacerda custa R$ 50. 

VALORES DOS INGRESSOS

PREÇOS
Norte Inferior: R$ 20 (Promocional Antecipado) / R$ 20 (meia) / R$ 40 (Inteira)
Norte, Oeste e Sul Superior (Visitante): R$ 20 (meia) / R$ 40 (inteira)
Camarote: R$ 120 (por pessoa)

quinta-feira, 22 de março de 2018

Sport perde por 1 a 0, é eliminado e Central chega à primeira decisão de Estadual


Foi o Central que chegou primeiro mais perto de inaugurar o placar: numa cobrança venenosa de falta de Charles, espalmada por Magrão, e depois em cabeçada para fora dada por Júnior Lemos. As bolas paradas e aéreas, por sinal, eram a tônica do jogo alvinegro. 

 Embora tenha iniciado o confronto se impondo um pouco, o Sport demorou mais para chegar com perigo à meta da Patativa. Porém, teve as chances mais claras da etapa inicial, quase em sequência. Índio chutou rasteiro, perto da trave esquerda de França. Um minuto depois, Léo Ortiz desviou a bola de cabeça e obrigou o goleiro centralino a evitar a gol. O Leão não assustou muito mais que isso em um primeiro tempo morno em Caruaru.

A aposta do técnico Nelsinho Batista depois do intervalo foi a entrada de Everton Felipe, que estava afastado dos gramados nos últimos seis meses devido à grave lesão no joelho. Pouco produtivo, Índio foi sacado. A troca parecia surtir efeito. Não demorou para o prata da casa fazer uma grande jogada e quase deixar Thomás na cara do gol, não tivesse dado um passe tão forte. 

Entretanto, talvez temendo uma exposição que pudesse levar à eliminação, coletivamente a equipe rubro-negra pareceu adotar no segundo tempo uma postura ainda mais conservadora. O Central cresceu. Aos 14 minutos, Tacaré dividiu com Magrão e tocou para Leandro Costa encostar a bola para dentro do gol, sozinho: 1 a 0.

Após o gol, a equipe de Nelsinho continuou sem força ofensiva alguma. Os jogadores rubro-negros começaram até a mostrar certo descompasso emocional com a iminente desclassificação. Fellipe Bastos foi expulso. Campeão pernambucano em 1998, Mauro Fernandes, téncico do Central, agora vai para sua terceira final estadual. 

Ficha do jogo

Central
França; Eduardo Gago, Danilo Quipapá, Vitão e Charles Maceió; Doulas Carioca (Graxa), Eduardo Erê, Fernando Pires e Júnior Lemos (Issa); Leandro Costa e Tacaré (Lucas Silva). Técnico: Mauro Fernandes.

Sport
Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Léo Ortiz e Sander (Capa); Anselmo, Neto Moura (Fellipe Bastos), Thomás e Marlone; Gabriel e Índio (Everton Felipe). Técnico: Nelsinho Batista.

Estádio: Luiz Lacerda (Caruaru-PE). Árbitro: Ricardo Marques (Fifa/MG). Assistentes: Guilherme Camilo (Fifa/MG) e Neusa Back (Fifa/SC). Cartões amarelos: Douglas Carioca, Eduardo Erê, Júnior Lemos (Central); Anselmo, Thomás, Fellipe Bastos (Sport). Cartão vermelho: Fellipe Bastos (Sport). Gol: Leandro Costa (14’ do 2T, Central). Público: 8.530. Renda: R$ 189.030,00.

sexta-feira, 16 de março de 2018

Sport bate martelo, aceita nova forma de pagamento e vende André ao Grêmio

Yuri de Lira /Diario de Pernambuco 

O martelo foi batido. André, de uma vez por todas, é jogador do Grêmio. Nesta sexta-feira, a diretoria do Sport se reuniu e resolveu sacramentar a venda dos 70% que detinha dos direitos econômicos do atacante. O Tricolor Gaúcho deu garantias bancárias e apresentou um nova forma de parcelamento para pagar dos 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões) exigidos pelo Rubro-negro. A informação foi confirmada pelo diretor de futebol do Leão, Leonardo Lopes. Segundo ele, os detalhes do negócio serão anunciados em breve.

Na última quinta-feira, o executivo do Sport, Klauss Câmara, havia se reunido com a diretoria gremista, em Porto Alegre, mas, após os tricolores sugerirem um novo pagamento parcelado, em quatro vezes, ainda espaçadas, o negócio nao foi concluído.

Anteriormente, o Tricolor havia proposto dividir os 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões) por 70% do atacante em três vezes, com grande intervalo também entre os pagamentos, sendo o último só para janeiro de 2019. 

André, que tinha contrato vigente com o Sport até 2022, só jogou quatro partidas nesta temporada pelo Leão. O interesse do Grêmio, coincidido com uma lesão no joelho, o tirou de combate. Insatisfeito com a intransigência do clube em vendê-lo, o centroavante chegou a levar seus pertences pessoais do centro de treinamento e passou dias sem treinar, sendo notificado pela diretoria, em seguida.

O atleta agora só poderá defender o Grêmio na Série A do Brasileiro, que começa em abril, e na Copa do Brasil, competição que o Tricolor participa a partir das oitavas de final. Na Libertadores, ele só poderá ser inscrito em uma possível classificação da equipe também nas oitavas.

sexta-feira, 9 de março de 2018

Lesões e impasses nas vendas de Rithely e André causam prejuízos milionários ao Sport


Se for estabelecida uma relação entre salário e gols, ao ter feito dois na temporada, cada bola na rede de André valeu R$ 525 mil. Os tentos marcados pelo camisa 90 foram no 2 a 0 sobre o Afogados, na Ilha do Retiro, ainda pela primeira fase do Campeonato Pernambucano. 

O Sport pode “recuperar” esse dinheiro quase todo pago a esmo se uma negociação com o Grêmio for sacramentada. Os gaúchos ofereceram R$ 2 milhões de euros (cerca de R$ 8 milhões) por 60% dos direitos econômicos de André - os leoninos ficariam ainda com 10%, e o Corinthians seguiria dono de 30%. Mas a direção não gostou da proposta e espera que o Tricolor desembolse 2,5 milhões de euros (em torno de R$ 10 milhões), conforme sugerido em uma conversa inicial. Os pernambucanos aguardam um novo contato dos gremistas nesta sexta-feira.


Gastos com Rithely

Rithely é alvo do Atlético-MG, mas deseja-o apenas por empréstimo, cedendo os meias Danilo Barcelos e Dodô, nos mesmos moldes de contrato ao Sport. Anteriormente, o atacante Carlos estava envolvido na negociação. Porém, seu nome está praticamente descartado e entrou o meia Dodô, que está emprestado ao Botafogo-SP. Dessa maneira, o volante não proporcionaria, imediatamente, uma recompensa financeira aos leoninos. Mas o cabeça de área também tem sido de baixo custo-benefício. Com salários girando em torno de R$ 220 mil mensais, só jogou duas vezes no ano, no começo de fevereiro. 

O Sport fechou duas folhas do ano, janeiro e março, sem o volante, que vinha justificando contusão no tornozelo. Até aqui o clube já gastou R$ 660 mil com o Rithely em salários, ou seja, cada jogo dele custou R$ 330 mil. O jogador enfrentou o Central (1 a 1) e o Santos-AP (2 a 1), pelo Estadual e Copa do Brasil, respectivamente. Participações apenas discretas.

O Rubro-negro vive um período de austeridade nas finanças. Ao assumir o futebol, a nova direção de assegurou, inclusive, que iria estabelecer um teto salarial mais baixo para os reforços que virão disputar a Série A do Brasileiro pelo clube. Uma possível saída de Rithely e André também desafogaria a folha salarial do elenco para o restante da temporada.