sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Na Copa da Holanda, árbitro de vídeo é usado oficialmente pela primeira vez

Por Rio de Janeiro
A discutida implantação de recursos tecnológicos no futebol ganhou um importante capítulo na última quarta-feira, na goleada do Ajax para cima do Willem, por 5 a 0, na Arena Amsterdã, em Amsterdã, pela primeira rodada do torneio. Foi usado pela primeira vez, de forma oficial, o recurso do árbitro de vídeo, que teve papel fundamental na expulsão do meia Kali, do Willem II.
O jogador do time visitante deu uma entrada violenta em Schöne, do Ajax, e foi advertido pelo árbitro Danny Makkelie com o cartão amarelo. De uma van no estacionamento do estádio, o outro árbitro, Pol van Boekel, analisou o lance pelo vídeo e informou Makkelie via rádio de que a melhor decisão seria a expulsão, e assim o árbitro de campo mudou a cor do cartão, expulsando Kali.
Na próxima rodada da Copa da Holanda, em outro duelo, os mesmos árbitros trocarão de lugar. Danny Makkelie assume a função como árbitro de vídeo, e Pol van Boekel apita a partida no campo.
No Redação SporTV, o comentarista Sérgio Xavier Filho afirmou que o uso da tecnologia no futebol é aguardado para lances mais polêmicos que uma expulsão interpretativa.
- Curioso. Porque não era bem esse o grande uso do vídeo que a gente aguarda. Esse o juiz está olhando e interpretou de uma forma diferente. O lance do vídeo ajudaria muito no jogo do São Paulo e Juventude.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Tite convoca Seleção para Eliminatórias com Thiago Silva, Oscar e goleiro Alex Muralha

 Agência Estado
O técnico Tite anunciou nesta sexta-feira a sua segunda convocação à frente da Seleção Brasileira e apresentou uma lista com seis novidades em relação aos primeiros compromissos: o goleiro Alex Muralha, o zagueiro Thiago Silva, o volante Fernandinho, o meia Oscar e os atacantes Roberto Firmino e Douglas Costa. Todos eles agora foram lembrados para os duelos com a Bolívia e a Venezuela pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, marcados para outubro.

Thiago Silva ficou fora da primeira convocação de Tite por estar lesionado. Agora, como voltou a atuar no Paris Saint-Germain, foi lembrado pelo treinador. E quem deixou a equipe foi o zagueiro Pedro Geromel, do Grêmio, que inclusive só havia sido chamado após o corte do são-paulino Rodrigo Caio.

O atacante Douglas Costa também foi lembrado por Tite após não estar à disposição para os duelos com Equador e Colômbia por causa de uma lesão. E a outra novidade do setor ofensivo foi o atacante Roberto Firmino, que vem se destacando pelo Liverpool neste início de temporada. E eles herdaram as vagas que foram anteriormente de Taison e Gabriel, recentemente negociado pelo Santos com a Inter de Milão.

Tite também optou por convocar o volante Paulinho, mesmo que ele esteja suspenso do duelo com a Bolívia, pois ele terá condições de encarar a Venezuela. Por isso, também, o treinador chamou 24 jogadores, ao contrário dos usuais 23 nomes. E as novidades do meio-de-campo foram Fernandinho, do Manchester City, e Oscar, do Chelsea, com o atleticano Rafael Carioca ficando de fora da segunda convocação do treinador.

Finalmente, a última novidade da relação de convocados de Tite é o goleiro Alex Muralha, do Flamengo. Ele foi chamado junto com Alison e Weverton para a lista, sendo que Marcelo Grohe, presente na primeira lista do técnico, agora acabou sendo descartado.

Assim, Tite repetiu 18 nomes anunciados na sua primeira lista à frente da seleção e mostrou que já tem uma base neste seu início de trabalho no comando da seleção e que aprovou o desempenho da equipe nos primeiros compromissos sob o seu comando.

Nos dois primeiros jogos de Tite à frente do Brasil, a equipe superou o Equador (3 a 0) e a Colômbia (2 a 1) e ascendeu para a segunda posição no torneio classificatório da Conmebol para a Copa da Rússia. Além disso, também ascendeu para a quarta posição no ranking da Fifa.

Agora, o Brasil terá pela frente as duas piores equipes da América do Sul na listagem da entidade e tentará ficar em situação mais confortável na briga para jogar a próxima Copa do Mundo. Os rivais serão a Bolívia, apenas a 75ª colocada, em 6 de outubro, na Arena das Dunas, em Natal, e a Venezuela, a número 60 do mundo, no dia 11, fora de casa, em Mérida.

Confira a lista de convocados da seleção brasileira:

Goleiros
Alisson (Roma), Alex Muralha (Flamengo) e Weverton (Atlético-PR)

Laterais
Daniel Alves (Juventus), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid) e Marcelo (Real Madrid)

Zagueiros
Gil (Shandong Luneng), Marquinhos (Paris Saint-Germain), Miranda (Inter de Milão) e Thiago Silva (Paris Saint-Germain)

Meio-campistas
Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City), Giuliano (Zenit), Lucas Lima (Santos), Oscar (Chelsea), Paulinho (Guangzhou Evergrande), Philippe Coutinho (Liverpool), Renato Augusto (Beijing Guoan) e Willian (Chelsea)

Atacantes
Douglas Costa (Bayern de Munique), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Jesus (Palmeiras) e Neymar (Barcelona).

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Givanildo não revela, mas dá pistas de escalação do Náutico e lamenta pouco tempo de treino

 postado em 09/09/2016 11:36 / atualizado em 09/09/2016 11:49

No último treino antes de enfrentar o Bahia na Arena de Pernambuco, nada de mistério. O treino foi aberto em todos os momentos e era provável que a escalação não fosse revelada, mas em um último momento, Givanildo Oliveira deu pistas de qual será a equipe. Algo que ele já tem definido em mente, mas preferiu não adiantar nada durante a entrevista coletiva.

É provável que a equipe seja a mesma que treinou nos dois dias anteriores e tenha Júlio César, Walber, Rafael Pereira, Adalberto, Gaston, João Ananias, Rodrigo Souza, Renan Oliveira, Jefferson Nem, Rony e Bergson como os 11 iniciais. Ao menos quase todos estes atletas foram vistos na segunda parte do treino, quando o técnico comandou uma atividade de bolas paradas. Há uma alternativa a este time, mas ela nem treinou neste momento em que as bolas eram alçadas na área. Vinícius, que foi utilizado na quinta-feira entre os titulares em um segundo momento do treinamento, deve ficar como opção para o segundo tempo e em uma situação que Givanildo terá que fazer adaptações.

“A escalação depende muito do trabalho que eles fizeram. De repente podemos estar utilizando (outra escalação) em determinada situação e jogo. Eu tive um jogador que está no Corinthians e ele, o Rodriguinho, não gostava de marcar. Hoje, ele vem atuando como segundo volante. É a situação de se adaptar. A situação vai depender do jogo. De início já treinamos e conversamos bastante”, comentou.

Se o técnico evitou adiantar o time, por outro lado elogiou muito a resposta dos atletas durante a semana. Gostou do afinco e da motivação dos atletas. Só deixou claro que não houve tempo hábil para deixar o time como deseja. “Pela resposta deles fiquei feliz sim. Mas satisfeito não posso dizer que estou. Nós treinadores precisamos de tempo. Foram apenas quatro dias de treino e não deu muito tempo de mudar muita coisa”, esclareceu.

A empolgação dos jogadores dificilmente vai fazer o técnico abrir um sorriso ou se empolgar do mesmo modo. Como ele mesmo diz, é pago para trabalhar e não para sorrir. Ao menos, admitiu que em toda a estreia sente um pouco de ansiedade, algo que para ele é mais do que natural mesmo já tendo comandado o Náutico em outras duas ocasiões. “Ainda tem o frio na barriga porque é uma coisa natural. Futebol é emoção. A minha não é como torcedor, porque torcedor é um apaixonado, mas na sua profissão você tem que ter essa sensação”.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Era Tite na Seleção Brasileira começa com desafio contra o Equador pelas Eliminatórias da Copa

postado em 01/09/2016 08:50 / atualizado em 01/09/2016 08:58
 Gazeta Press

A Seleção Brasileira inicia a sua trajetória sob o comando do técnico Tite nesta quinta-feira, quando visitará o Equador, às 18 horas (de Brasília), no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, pela sétima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. Os desafios do novo comandante são grandes. O fantasma da derrota por 7 a 1 para a Alemanha no último Mundial ainda sobrevive, e a suposta crise técnica, tão decantada pelos críticos, é uma realidade a ser desmentida.

Apesar dos desafios já citados, o maior e mais emergencial deles, é levar a Seleção Brasileira à Copa da Rússia, o que não aconteceria com a classificação atual – o Brasil é apenas o sexto colocado das Eliminatórias, com 9 pontos, quatro a menos do que o Equador, que divide com o Uruguai a liderança. Ou seja, estrear com triunfo já é um desafio.

“Sabemos que a Seleção Brasileira vai ser sempre cobrada, e temos um jogo muito importante contra o Equador. Não vai ser tarefa fácil por conta de tudo o que ronda essa partida. Mas quem joga com essa camisa precisa saber lidar com esse tipo de pressão”, avisou o zagueiro Miranda.

A altitude é motivo de preocupação, tanto que a Seleção Brasileira viajou três dias antes do jogo para tentar minimizar os efeitos da altura de Quito. Tite, porém, trabalha para afastar esse fantasma.

“Não estamos nos preparando para disputar uma maratona, e sim um jogo de futebol, em que os aspectos técnico e tático prevalecerão. O nosso adversário é a seleção equatoriana, e não a altitude”, discursou o ex-treinador do Corinthians.

Tite fechou à imprensa o treinamento que serviu para definir a escalação brasileira, mas a confirmou. Por algumas atividades táticas abertas à imprensa, já havia dado para perceber que o volante Paulinho era uma das principais novidades em relação ao time que vinha sendo utilizado por Dunga. Já Gabriel Jesus estará no comando do ataque.

Se Tite não faz mistério, os equatorianos sabem que terão um time de qualidade pela frente, liderado por Neymar. Porém, o técnico Gustavo Quinteros lembrou que os perigos do Brasil não se limitam ao atacante do Barcelona.

“Não podemos nos preocupar apenas com o Neymar, pois a Seleção Brasileira tem grandes jogadores. Até laterais podem definir um confronto, portanto, todos merecem o nosso respeito. O Equador vai tentar neutralizar todos os pontos fortes do Brasil e explorar os seus pontos negativos para que o nosso estilo de jogo possa sobressair”, disse o treinador do Equador, que também passou a semana lembrando que o seu time, por ter jogadores que atuam no futebol europeu, também sofrerá com os efeitos da altitude.

Quinteros fez mistério em relação ao time do Equador. No meio-de-campo, duas dúvidas de ordem técnica. Carlos Gruezo e Jefferson Orejuela disputam para ver quem será o terceiro volante, enquanto que Fidel Martínez e Enner Valencia disputam a vaga do suspenso Antonio Valenci.

EQUADOR X BRASIL

Local: Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (Equador)
Data: 1º de setembro de 2016, quinta-feira
Horário: 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai)

EQUADOR: Esteban Dreer; Juan Paredes, Gabriel Achilier, Luis Caicedo e Walter Ayoví; Pedro Quiñónez, Christian Noboa, Carlos Gruezo (Jefferson Orejuela) e Fidel Martínez (Enner Valencia); Miler Bolaños e Felipe Caicedo
Técnico: Gustavo Quinteros

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Willian, Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Rithely, o volante do Nordeste que está na mira do técnico Tite


Primeira convocação de Tite. Lá pelas tantas, o repórter da Rádio Assunção AM de Fortaleza, Kilmer de Campos, questionou: ‘Tu tens olhado para o futebol nordestino, existe alguma possibilidade de algum jogador que atua no futebol nordestino ser chamado para outras convocações?’.

A resposta de Tite foi longa:

- Busco ser isento, humanamente alguma influência vai acontecer, se colocar o lado consciente e filtrar, não colocar região. Não colocar se é europeu ou de qualquer outro centro. Eu teria uma grande oportunidade, eu tô vindo pro Rio de Janeiro, - não trabalhei no Rio de Janeiro -, de convocar atletas do Rio de Janeiro pra fazer média. Eu quero errar, ou acertar. Mas dentro de ótica de procurar ser justo. Isso não tá absolutamente região, local. Não tenho esse olhar pra um ou pra outro.¨

Tite poderia ter encerrado aí. Mas continuou e acabou entregando alguns detalhes preciosos.

- Eu já tava aqui relutando mas não posso falar o nome dele, que todos os técnicos que trabalharam com ele no Nordeste falam bem também. Não vou falar, tô me coçando mas não vou falar, mas a gente fica acompanhando essa evolução independentemente do local onde esteja.

Quem é esse jogador?

Salvo exceções, como no caso de Jefferson, goleiro do Botafogo, ano passado, o caminho de um atleta que esteja na Série B para a seleção é praticamente inalcançável. O filtro da busca se resumiria a algum atleta dos três nordestinos na Série A: Santa Cruz, Sport e Vitória.

Poderíamos aqui especular sobre nomes de destaque dentro das equipes. Mas Tite entregou que conversou com ‘treinadores que trabalharam com ele’. Plural. O que nos permite concluir que, pelo menos, dois técnicos que comandaram determinado jogador foram consultados por Tite. 

O filtro se afunila. 

Notícias recentes ajudam a ligar os pontos. 

Em Porto Alegre, anunciaram que Falcão e Tite conversaram. No Recife, Oswaldo de Oliveira confessou que conversou com o técnico da seleção.

O que leva a concluir que o jogador é do elenco do Sport Club do Recife. 

Mas, quem seria? Ora, apenas dois nomes poderiam ser imaginados: Diego Souza e Rithely. 

Qual dos dois?

Diego já é mais velho, tem 31 anos. Além disso, para a posição, há oferta técnica de altíssimo nível. Todos mais jovens que DS87. Renato Augusto e Willian são os ‘mais velhos’ com 28 anos.

Resta um.

Rithely. 

O volante tem 25 anos, está ná 6ª temporada no Sport e disputa a primeira divisão pela 4ª vez. Vários clubes já tentaram contratá-lo, mais recentemente Palmeiras e Fluminense, além de equipes da Turquia e da China. 

Rithely também atende a um perfil de Tite para a posição de volante. Todos os convocados, Casemiro, Giuliano, Paulinho e Rafael Carioca, fazem mais de uma função no meio de campo. Rithely pode fazer até três. 

Não bastassem todas as sinalizações, o blogueiro conseguiu confirmar que o volante rubro-negro é o nordestino está, realmente, na órbita do técnico Tite.

O que não significa que esteja à frente na preferência. Há uma fila que o antecede na observação do treinador, Elias, do Corinthians, Fernandinho, do Manchester City, Wallace, do Grêmio. Mas o que importa é que Rithely está ali. 

Se seguirá no grupo observado por Tite ou até mesmo será chamado, dependerá do jogador e, por tabela, do desempenho do Sport no Brasileirão. Tite até mandou o recado na coletiva: 

- Joguem muito nos seus clubes, e fiquem atletas com seu percentual de gordura e estado físico em sua plenitude porque é pré-requisito básico pra ser convocado.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Em ano do centenário do clássico, Santa Cruz e Sport fazem primeiro duelo internacional

postado em 24/08/2016 08:20 / atualizado em 24/08/2016 09:52

Um clássico que chegou ao seu primeiro centenário e continua se reinventando. Após 100 anos de disputas e jogos inesquecíveis na âmbito local, regional e nacional, Santa Cruz e Sport entram em campo nesta quarta-feira, às 21h45, para o primeiro encontro internacional, válido pela Copa Sul-Americana. No confronto de número 550. Turbinado pela rivalidade e pela certeza de que apenas um seguirá adiante e terá o direito de cruzar as fronteiras do país. Na próxima fase, o adversário será o Deportivo Luqueño, do Paraguai, ou o Independiente Medellín, da Colômbia. Mas esse não será o único ineditismo de um duelo com um século de história. Após 33 anos, um estádio voltará a ter a honra de, pela primeira vez, receber as duas maiores torcidas do Estado.

Desde o Britsh Club, palco do primeiro jogo, em 1916, a rivalidade entre tricolores e rubro-negros já coloriu outros sete estádios. Desde os extintos campos da Jaqueira e Avenida Malaquias, passando pelos Aflitos e até fora do Recife, com jogos em João Pessoa, em um quadrangular em 1951, e em Caruaru, em 1983, válido pela decisão do terceiro turno do Estadual daquele ano. A última vez que Santa e Sport não se encontraram em suas respectivas casas, Arruda e Ilha do Retiro. Agora, é a vez da Arena de Pernambuco também fazer parte dessa história. Com direito a garantia de um segundo capítulo, na próxima quarta-feira, no jogo de volta.

Nesta noite, o mando é coral. O que significa algo além do direito a um espaço maior reservado para a sua torcida. Isso porque na Sul-Americana, o gol marcado fora de casa tem peso de critério de desempate, como na Copa do Brasil. O que significa maior atenção e inteligência por parte dos dois times no primeiro tempo dos 180 minutos de duelo.

Sport

Porém, ao contrário do que a importância dessa partida histórica sugere, os dois clubes parecem encarar o encontro com algumas ressalvas. No Sport, que vai para a sua quarta participação seguida na competição, o técnico Oswaldo de Oliveira deve utilizar o clássico para fazer algumas observação. Usando como argumento o fato de alguns jogadores estarem desgastados, o comandante deve dar oportunidade para alguns atletas atuarem pela primeira vez como titulares, caso do lateral direito Apodi e do atacante colombiano Ruiz. Já outros atletas devem ganhar nova chance como o volante Serginho e o meia-atacante Lenis. Mudanças em série, que dificilmente seriam feitas em um jogo do Brasileiro.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Pisano estreia com boa atuação no Santa Cruz, faz gol e dá boa impressão ao técnico Doriva

postado em 14/08/2016 19:55 / atualizado em 14/08/2016 20:03
Matías Pisano só não teve uma estreia perfeita pelo Santa Cruz porque o time coral não conseguiu ganhar. O argentino, que foi acionado pelo técnico interino Adriano Teixeira aos 20 minutos do segundo tempo, acabou sendo o autor do gol de empate em 2 a 2 contra o Vitória, no Barradão, e teve um rendimento convincente. O meia, portanto, dá uma boa impressão ao recém-chegado treinador Doriva, que assistiu a tudo das tribunas do estádio.

O meio-campista tem apenas 1,66 metro de altura. Entre os jogadores do elenco tricolor, é mais alto apenas que Renatinho, com sete centímetros a menos. Ainda assim, fez, de cabeça, o gol em sua estreia. Não que essa seja a sua especialidade. Longe disso. Nem ele próprio imaginava que seria dessa maneira que balançaria as redes adversárias pela primeira vez no Santa Cruz No entanto, feliz com o seu desempenho, tal detalhe pouco importou. “De cabeça não (esperava), mas de todo jeito serve”, falou, aos risos.

A atuação do meio-campista não pode ser restrita ao gol. Mesmo em campo por apenas 27 minutos, Matías Pisano foi capaz de melhorar o rendimento do setor de criação da equipe coral na partida e teve chance até de fazer o seu segundo gol para decretar um triunfo histórico no Barradão (já que o Santa nunca venceu o Vitória em Salvador). 

Ele entrou no lugar de Arthur. A depender da atuação do concorrente e da dele, Doriva pode ter atestado que a vaga no time titular é mesmo do argentino. Isso se continuar no esquema 4-2-3-1 que Adriano Teixeira adotou neste jogo. Já se o novo técnico retomar o 4-4-2, Pisano disputaria a posição com João Paulo ou Uillian Correia para atuar como um meia mais centralizado.  

Após o jogo no Barradão, o jogador avaliou positivamente a sua participação no duelo com o Rubro-negro. “Gostei (da estreia). Fui bem. Viu-se tudo: a luta da gente e a gente competindo para conseguir os objetivos”, afirmou. “Pude fazer um gol importante para nós e para seguirmos na briga (contra o rebaixamento)”, complementou.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sport voltará a ter mais vitórias do que derrotas na temporada 2016 caso vença o Flamengo

João de Andrade Neto /Superesportes
Invicto há cinco rodadas no Campeonato Brasileiro, o Sport pode, no próximo sábado, contra o Flamengo, na Arena de Pernambuco, confirmar o bom momento com a retomada de uma marca. Caso vença os cariocas, os leoninos voltarão a ter mais vitórias do que derrotas na temporada, somando os resultados válidos pelo Campeonato Pernambucano, Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Série A e a Taça Ariano Suassuna. Atualmente, os rubro-negros somam o mesmo número de vitórias e derrotas (18), além de dez empates, nas 46 vezes em que entraram em campo. 

A última vez que o número de triunfos do Sport no ano superou o de reveses foi no início do Brasileiro. Àquela altura, mesmo com a queda para o Flamengo na estreia, os leões ainda acumulavam 12 vitórias, contra 11 derrotas. Balança que se inverteu na queda para o Corinthians, na Ilha do Retiro, pela 4ª rodada, quando o Sport passou a somar 13 derrotas no ano. Desde então, em nenhum momento o Sport passou a ter o retrospecto favorável.

Vale ressaltar que essa será a terceira oportunidade consecutiva que o Sport tem para voltar a ter o saldo positivo na temporada. Isso porque o time vem de dois empates seguidos (ambos por 1 a 1), contra América-MG e Figueirense. Antes, havia vencido Grêmio, Cruzeiro e Atlético-PR. Os cinco jogos invictos representam a melhor sequência do clube nesta Série A.

Vale lembrar que apenas outros dois times estão com uma série de cinco jogos sem perder no Brasileiro. Vice-líder, o Atlético-MG soma cinco vitórias consecutivas. Já o Flamengo, adversário do Leão no sábado, também soma três vitórias e dois empates no período, o que levou o time da Gávea para a 4ª colocação. Já o Sport saiu da zona de rebaixamento para o 12º lugar.

O Sport em 2016

Brasileiro

vitórias

5
empate

8
derrotas


Pernambucano
 
6
vitórias

3
empates

5
derrotas

Copa do Nordeste

5
vitórias

2
empates

3
derrotas

Copa do Brasil

2
derrotas

Taça Ariano Suassuna

1
vitória

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

CBF confirma transferência do jogo entre Sport e Flamengo, sábado, para a Arena de Pernambuco

 Camila Alves /Especial para o Diario de Pernambuco


A partida entre Sport e Flamengo, que marca o início do returno do Brasileiro no próximo sábado, foi transferida para a Arena de Pernambuco. A alteração foi confirmada nesta segunda-feira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Anteriormente marcada para acontecer na Ilha do Retiro, o confronto, válido pela 20ª rodada da Série A, terá início agora às 16h na cidade de São Lourenço da Mata. A mudança se configurou conforme uma solicitação advinda do clube pernambucano. Curiosamente, no ano passado, a única derrota do time pernambucano na Série A como mandante foi justamente contra o rival carioca, no mesmo estádio.

A expectativa é de que a diretoria do Sport anuncie ainda um pacote de jogos a serem realizados na Arena. Além do Flamengo, o confronto diante do Santa Cruz pela Copa Sul-Americana deve ser um deles. Desde sua inauguração, na Arena de Pernambuco, o Sport disputou 17 partidas. Venceu nove confrontos, empatou seis e perdeu dois. 

Neste ano, no entanto, todas as partidas mandadas pelo Sport no Brasileiro aconteceram na Ilha do Retiro. Foram quatro vitórias, três empates e duas derrotas. Configurando, portanto, um rendimento de 55%. Caso vença a disputa, o Sport engata uma sequência de seis jogos totais sem derrotas. A possibilidade de, pela primeira vez, figurar entre os dez primeiros da tabela configura o cenário almejado pelo Leão para se firmar de vez fora da zona de rebaixamento.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Santa Cruz tenta ser mais um algoz do Grêmio, sem vida fácil contra times da parte de baixo

postado em 04/08/2016 08:20 / atualizado em 04/08/2016 08:37

O poderio do Grêmio é inconteste. Força que se evidencia na colocação da equipe gaúcha na tabela da Série A. Há duas rodadas no G4 do Brasileiro, o time do técnico Roger Machado é ainda, de quebra, o terceiro melhor mandante do campeonato. Às 19h30 desta quinta-feira, logo em Porto Alegre, o Santa Cruz enfrenta esse indigesto oponente. Se tudo leva a crer que uma nova derrota dos corais é quase inevitável, a esperança pernambucana vem justamente do retrospecto do adversário diante de equipes que lutam contra o rebaixamento. Ao se deparar com clubes que tentam fugir da degola, a vida dos gremistas não tem sido nada fácil ultimamente.

No último domingo, um triunfo do Grêmio sobre o lanterna América-MG parecia assegurado. Frustrou-se quem pensou assim. Em Belo Horizonte, os gaúchos ficaram num empate sem gols, com chances perdidas para os dois lados, e perderam a oportunidade de dividirem a liderança com o Corinthians ao fim da rodada. O caso não foi isolado. O time de Douglas e companhia ainda tropeçou mais feio frente ao Vitória. Dentro de casa. Na 10ª rodada, acabou sendo derrotado por 2 a 1 e permitiu ao rubro-negro baiano se afastar ainda mais do Z4. Esse, aliás, foi o único revés gremista em seu território até então.     

Rival do Santa, o Sport também já complicou o Grêmio neste Brasileiro. Há três jogos, à época na penúltima posição, o Leão ganhou por 4 a 2, na Ilha do Retiro, e iniciou a sua reação no Brasileiro. Ao se encontrar com equipes na zona de rebaixamento ou perto dela, no entanto, não foram só tropeços. O time de Roger já ganhou de Cruzeiro e Figueirense. Mas apenas a última mais recentemente. O gol do triunfo naquela partida, por sinal, só foi feito nos acréscimos do jogo, com o atacante Bobô. O Tricolor Gaúcho também enfrentou o Coritiba, um dos candidatos à queda, e ganhou em casa por 2 a 0. Mas ainda na quarta rodada, quando o Coxa se situava no meio da tabela.   

O técnico Milton Mendes compreende que é possível arrancar pontos do Grêmio no Rio Grande do Sul. Agora no 4-4-2 pelo segundo jogo seguido, recheou o meio-campo com volantes para “ganhar corpo” no setor. Crê que o Santa vai precisar marcar para surpreender. Contudo, o treinador cobra que o time ataque como não atacou o Atlético-MG na rodada passada e perdeu por 3 a 0, em Minas Gerais. “Precisamos que eles (os volante) apareçam. O Derley é o único deles mais defensivo.”

Time
O Santa Cruz perdeu Uillian Correia para o jogo, que sofre com incômodos no pé e foi vetado. Derley perderia a posição devido à volta de João Paulo, que estava suspenso. Mas com a ausência de Correia, continuará entre os titulares. O resto do meio-campo será formado pelos também volantes Jadson e Danilo Pires. Na zaga, Mendes não adiantou se Neris retorna após lesão na coxa direita. Se não reunir condições ainda de atuar, Luan Peres segue na posição.

Adversário
O treinador Roger Machado vai poder praticamente repetir o mesmo time titular que empatou em 0 a 0 com o América-MG, no estádio Independência. A única mudança na escalação vai ser na lateral direita do Grêmio. Suspenso após ter recebido um cartão vermelho contra o Coelho, Edílson cede lugar a Wallace Oliveira na posição.  

Ficha técnica
Grêmio
Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Pedro Geromel, Wallace Reis e Marcelo Oliveira; Jaílson, Maicon, Negueba, Douglas e Pedro Rocha; Miller Bolaños. Técnico: Roger Machado.

Santa Cruz

Tiago Cardoso; Léo Moura, Luan Peres (Neris), Danny Morais e Tiago Costa; Derley, Jadson, Danilo Pires e João Paulo; Keno e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Estádio:
 Arena do Grêmio (Porto Alegre-RS). Horário: 19h30. Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP). Assistentes:Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP).

O retrospecto do Grêmio contra os times que lutam contra o rebaixamento 

Tropeços

10ª rodada

Grêmio 1 x 2 Vitória
(Vitória era 15º  colocado)

15ª rodada
Sport 4 x 2 Grêmio
(Sport era 19º colocado)

17ª rodada
América-MG 0 x 0 Grêmio
(América era 20º colocado)

Vitórias

9ª rodada

Grêmio 2 x 0 Cruzeiro
(Cruzeiro era 17º colocado)

14ª rodada
Grêmio 2 x 1 Figueirense
(Figueirense era 16º colocado)

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Sport recebe América para engatar sequência histórica e figurar entre os dez da Série A

Brenno Costa /Diario de Pernambuco

Desde que o Sport iniciou a disputa da Série A, os olhares estiveram voltados para a parte de baixo da tabela. O início de ano com uma montagem do elenco com erros e a falta de encaixe dentro de campo fizeram com que a zona de rebaixamento da Série A fosse um tormento presente em 13 das 17 rodadas disputadas. Mas a evolução que se desenhava começou a ganhar corpo. Com a chance de engatar uma inédita sequência de quatro vitórias, o Leão recebe o lanterna América-MG, às 19h30 desta quarta-feira, e pode chegar, pela primeira vez, entre os dez primeiros colocados. Figurar, assim, na primeira página da classificação.

Em uma rodada perfeita, a vitória para o Sport significa saltar do 12º lugar para o oitavo, com 24 pontos. Para isso, Chapecoense, São Paulo, Fluminense e Ponte Preta precisam ser derrotados. No elenco rubro-negro, portanto, a partida diante do Coelho é tratada como um jogo que pode dividir a história do time dentro desta Série A.

“Eu vou ser bem sincero. Depois desse jogo do América, que se Deus quiser a gente vai fazer uma boa vitória, eu creio que a gente começa a pensar em uma outra parte da tabela. Até então, a gente está tentando se afastar da zona de rebaixamento. A gente conseguindo essa vitória, não vou ficar de muita enrolação. A gente vai começar a pensar do meio da tabela para cima”, disse o volante Serginho.

Mas, apesar do clima de confiança que ronda a Ilha do Retiro, os jogadores do Sport estão em alerta para não relaxar. Durante a semana, o técnico Oswaldo de Oliveira teve conversas com o grupo. Não quer comodismo para o duelo contra o América-MG, lanterna isolado da competição.

“Vamos ter oportunidade diante de um adversário que não vem bem na competição. Mas, de qualquer maneira, vamos respeitar o máximo possível porque, falando de Série A, todos os adversários são de qualidade. Então, a gente tem que tomar o máximo de cuidado possível. Não relaxar. Manter o foco que a gente vem bem na competição”, afirmou Ronaldo Alves.

Adversário
O América-MG chega ao Recife após interromper uma sequência de sete derrotas seguidas com o empate em 0 a 0 alcançado diante do Grêmio, na última rodada. O time, contudo, ainda não venceu uma partida sequer longe de Minas Gerais. Para o duelo diante do Leão, o técnico Enderson Moreira tem o meia Osman como principal desfalque. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele será substituído por Bruno Sávio.

Ficha do jogo

Sport

Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Rithely, Serginho, Everton Felipe, Diego Souza e Rogério; Edmílson. Técnico: Oswaldo de Oliveira

América-MG

João Ricardo; Jonas, Alison, Sueliton e Gilson; Pablo, Leandro Guerreiro, Juninho e Matheusinho; Bruno Sávio e Michael. Técnico: Enderson Moreira

Horário: 19h30. Local: Ilha do Retiro (Recife). Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC/Fifa). Assistentes: Kléber Lúcio Gil (SC/Fifa) e Carlos Berkenbrock (SC). Ingressos: R$ 20 (sócio e meia-entrada arquibancada da sede, meia-entrada visitante); R$ 30 (meia-entrada e sócio arquibancada frontal); R$ 40 (visitante e arquibancada sede); R$ 80 (cadeira assento especial e ampliação); R$ 120 (cadeira central não-sócio).

Mendes atesta que formação do Santa Cruz parou de funcionar e aposta em novo esquema

 Yuri de Lira /Diario de Pernambuco

Parece ter chegado ao fim o esquema tático do técnico Milton Mendes, utilizado por ele desde a sua chegada no Santa Cruz, no fim de março. O 4-2-3-1, com pontas abertos e apenas um jogador centralizado no ataque, teve êxito nas conquistas do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste. Porém, ficou visado após o bom início do time na Série A e parou de dar certo. Pela segunda vez consecutiva no Brasileiro, então, o treinador irá optar pelo tradicional 4-4-2. Terá um meio-campo mais povoado e formado por três volantes de ofício, além de João Paulo. Nesta quinta-feira, quando o time visita o Grêmio, em Porto Alegre, a ideia é que a formação encaixe e que apresente resultados melhores que no último jogo.

Diante do Atlético-MG, no último sábado, Mendes não se furtou em testar o 4-4-2. Já havia usado a formação três rodadas antes - na vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, no Arruda. Mas, naquela ocasião, apenas devido à lesão de Grafite, que foi substituído por Marion, um quarto homem no meio-campo. Contra o Galo, Arthur foi o escolhido para deixar a equipe e tornar possível a mudança de esquema. Diante do Grêmio, o atacante seguirá de fora do time para a manutenção desta nova composição tática, que, segundo o técnico, visa dar mais solidez à retaguarda do Santa Cruz.

Milton confessa que o antigo esquema não estava mais funcionando. Ao se deparar com adversários de mais qualidade técnica na Série A, acabou deixando o Tricolor muito exposto. “Desde quando aqui cheguei, posicionávamos no 4-2-3-1, que atacava no 4-3-3. O segredo é que fechávamos por dentro, a equipe ganhava corpo e tínhamos saída de jogo. A partir do momento que a gente deixou de fazer isso, ficamos vulneráveis por causa da qualidade de uma primeira divisão, que é diferente do nível do Pernambucano e Copa do Nordeste. Precisávamos de estabilidade defensiva. A gente precisava encorpar a equipe para depois sair para o jogo”, avaliou.

Apesar da derrota por 3 a 0 no Independência, o 4-4-2 deu uma boa impressão para Milton Mendes. Desta vez, só espera que as jogadas sejam mais bem construídas. “Eu queria ganhar corpo no meio-campo como ganhamos. Só que a transição não aconteceu. Contra o Grêmio, vai ser muito parecido com isso. Preciso fazer com que Danilo (Pires) e o próprio Jadson entendam que podemos chegar à frente também, não só fazer o meio.”

João Paulo mais livre para criar

Além desses dois atletas, João Paulo também ocupará uma posição no meio-campo após ter cumprido suspensão. Deixa a função de volante e vai ter a tarefa de fazer a bola chegar mais redonda ao ataque. Como um meia. “(A nova formação) faz o time ficar mais agrupado na recomposição. Talvez, defensivamente, a gente corra menos riscos. Mas acho que depende muito do que a gente vai fazer dentro de campo. A gente tem que ter atitude para as coisas fluírem da maneira correta”, afirmou o jogador. O jogador entra no lugar de Uillian Correia, que sofre com incômodos no péDerley, portanto, deve seguir entre os titulares.
 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Classificação da Série A 2016 – 16ª rodada

Os times pernambucanos voltaram a inverter posições na classificação do Brasileirão, com o Santa Cruz perdendo em casa do Coritiba, no sábado, e oSport vencendo o Cruzeiro o fora de casa, no domingo. Ao fim da 16ª rodada – coma  vitória do Flamengo sobre o cada vez mais afundado América Mineiro, na segunda-feira -, os rivais das multidões ficaram fora do Z4, num cenário raro nesta edição. Foram ajudados também pelos tropeços dos concorrentes.
Com os torcedores já fazendo as contas, o blog tenta ajudar. São duas projeções, uma com 46 pontos, a margem mínima com 100% de segurança (até hoje). A segunda considera a atual campanha do 16º lugar, curiosamente o próprio Santa, o primeiro acima da zona de descenso. Hoje com 35,4% de aproveitamento. Ao final de 38 rodadas, esse índice resultaria em 41 pontos. Veja o que tricolores e rubro-negros precisam fazer a partir de agora…
Sport – soma 18 pontos em 16 jogos (37,5%)
Para chegar a 46 pontos (margem segura):
Precisa de 28 pontos em 22 rodadas
…ou 42,4% de aproveitamento
Simulações: 9v-1e-12d, 8v-4e-10d, 7v-7e-8d
Para chegar a 41 pontos (rendimento atual do 16º):
Precisa de 23 pontos em 22 rodadas
…ou 34,8% de aproveitamento
Simulações: 7v-2e-13d, 6v-5e-11d, 5v-8e-9d 
Chance de escapar: 81,0% (Chance de Gol) e 79% (Infobola)
Santa Cruz – soma 17 pontos em 16 jogos (35,4%)
Para chegar a 46 pontos (margem segura):
Precisa de 29 pontos em 22 rodadas
…ou 43,9% de aproveitamento
Simulações: 9v-2e-11d, 8v-5e-9d, 7v-8e-7d
Para chegar a 41 pontos (rendimento atual do 16º):
Precisa de 24 pontos em 22 rodadas
…ou 36,3% de aproveitamento
Simulações: 7v-3e-12d, 6v-6e-10d, 5v-9e-8d
Chance de escapar: 60,1% (Chance de Gol) e 55% (Infobola)
A 17ª rodada dos representantes pernambucanos 
30/07 (18h30) – Sport x Atlético-PR (Ilha do Retiro)
Histórico no Recife na elite: 6 vitórias leoninas, 6 empates e 1 derrota
30/07 (21h00) – Atlético-MG x Santa Cruz (Independência)
Histórico em BH pela elite: nenhuma vitória coral, 2 empates e 2 derrotas