quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Em ano do centenário do clássico, Santa Cruz e Sport fazem primeiro duelo internacional

postado em 24/08/2016 08:20 / atualizado em 24/08/2016 09:52

Um clássico que chegou ao seu primeiro centenário e continua se reinventando. Após 100 anos de disputas e jogos inesquecíveis na âmbito local, regional e nacional, Santa Cruz e Sport entram em campo nesta quarta-feira, às 21h45, para o primeiro encontro internacional, válido pela Copa Sul-Americana. No confronto de número 550. Turbinado pela rivalidade e pela certeza de que apenas um seguirá adiante e terá o direito de cruzar as fronteiras do país. Na próxima fase, o adversário será o Deportivo Luqueño, do Paraguai, ou o Independiente Medellín, da Colômbia. Mas esse não será o único ineditismo de um duelo com um século de história. Após 33 anos, um estádio voltará a ter a honra de, pela primeira vez, receber as duas maiores torcidas do Estado.

Desde o Britsh Club, palco do primeiro jogo, em 1916, a rivalidade entre tricolores e rubro-negros já coloriu outros sete estádios. Desde os extintos campos da Jaqueira e Avenida Malaquias, passando pelos Aflitos e até fora do Recife, com jogos em João Pessoa, em um quadrangular em 1951, e em Caruaru, em 1983, válido pela decisão do terceiro turno do Estadual daquele ano. A última vez que Santa e Sport não se encontraram em suas respectivas casas, Arruda e Ilha do Retiro. Agora, é a vez da Arena de Pernambuco também fazer parte dessa história. Com direito a garantia de um segundo capítulo, na próxima quarta-feira, no jogo de volta.

Nesta noite, o mando é coral. O que significa algo além do direito a um espaço maior reservado para a sua torcida. Isso porque na Sul-Americana, o gol marcado fora de casa tem peso de critério de desempate, como na Copa do Brasil. O que significa maior atenção e inteligência por parte dos dois times no primeiro tempo dos 180 minutos de duelo.

Sport

Porém, ao contrário do que a importância dessa partida histórica sugere, os dois clubes parecem encarar o encontro com algumas ressalvas. No Sport, que vai para a sua quarta participação seguida na competição, o técnico Oswaldo de Oliveira deve utilizar o clássico para fazer algumas observação. Usando como argumento o fato de alguns jogadores estarem desgastados, o comandante deve dar oportunidade para alguns atletas atuarem pela primeira vez como titulares, caso do lateral direito Apodi e do atacante colombiano Ruiz. Já outros atletas devem ganhar nova chance como o volante Serginho e o meia-atacante Lenis. Mudanças em série, que dificilmente seriam feitas em um jogo do Brasileiro.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Pisano estreia com boa atuação no Santa Cruz, faz gol e dá boa impressão ao técnico Doriva

postado em 14/08/2016 19:55 / atualizado em 14/08/2016 20:03
Matías Pisano só não teve uma estreia perfeita pelo Santa Cruz porque o time coral não conseguiu ganhar. O argentino, que foi acionado pelo técnico interino Adriano Teixeira aos 20 minutos do segundo tempo, acabou sendo o autor do gol de empate em 2 a 2 contra o Vitória, no Barradão, e teve um rendimento convincente. O meia, portanto, dá uma boa impressão ao recém-chegado treinador Doriva, que assistiu a tudo das tribunas do estádio.

O meio-campista tem apenas 1,66 metro de altura. Entre os jogadores do elenco tricolor, é mais alto apenas que Renatinho, com sete centímetros a menos. Ainda assim, fez, de cabeça, o gol em sua estreia. Não que essa seja a sua especialidade. Longe disso. Nem ele próprio imaginava que seria dessa maneira que balançaria as redes adversárias pela primeira vez no Santa Cruz No entanto, feliz com o seu desempenho, tal detalhe pouco importou. “De cabeça não (esperava), mas de todo jeito serve”, falou, aos risos.

A atuação do meio-campista não pode ser restrita ao gol. Mesmo em campo por apenas 27 minutos, Matías Pisano foi capaz de melhorar o rendimento do setor de criação da equipe coral na partida e teve chance até de fazer o seu segundo gol para decretar um triunfo histórico no Barradão (já que o Santa nunca venceu o Vitória em Salvador). 

Ele entrou no lugar de Arthur. A depender da atuação do concorrente e da dele, Doriva pode ter atestado que a vaga no time titular é mesmo do argentino. Isso se continuar no esquema 4-2-3-1 que Adriano Teixeira adotou neste jogo. Já se o novo técnico retomar o 4-4-2, Pisano disputaria a posição com João Paulo ou Uillian Correia para atuar como um meia mais centralizado.  

Após o jogo no Barradão, o jogador avaliou positivamente a sua participação no duelo com o Rubro-negro. “Gostei (da estreia). Fui bem. Viu-se tudo: a luta da gente e a gente competindo para conseguir os objetivos”, afirmou. “Pude fazer um gol importante para nós e para seguirmos na briga (contra o rebaixamento)”, complementou.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sport voltará a ter mais vitórias do que derrotas na temporada 2016 caso vença o Flamengo

João de Andrade Neto /Superesportes
Invicto há cinco rodadas no Campeonato Brasileiro, o Sport pode, no próximo sábado, contra o Flamengo, na Arena de Pernambuco, confirmar o bom momento com a retomada de uma marca. Caso vença os cariocas, os leoninos voltarão a ter mais vitórias do que derrotas na temporada, somando os resultados válidos pelo Campeonato Pernambucano, Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Série A e a Taça Ariano Suassuna. Atualmente, os rubro-negros somam o mesmo número de vitórias e derrotas (18), além de dez empates, nas 46 vezes em que entraram em campo. 

A última vez que o número de triunfos do Sport no ano superou o de reveses foi no início do Brasileiro. Àquela altura, mesmo com a queda para o Flamengo na estreia, os leões ainda acumulavam 12 vitórias, contra 11 derrotas. Balança que se inverteu na queda para o Corinthians, na Ilha do Retiro, pela 4ª rodada, quando o Sport passou a somar 13 derrotas no ano. Desde então, em nenhum momento o Sport passou a ter o retrospecto favorável.

Vale ressaltar que essa será a terceira oportunidade consecutiva que o Sport tem para voltar a ter o saldo positivo na temporada. Isso porque o time vem de dois empates seguidos (ambos por 1 a 1), contra América-MG e Figueirense. Antes, havia vencido Grêmio, Cruzeiro e Atlético-PR. Os cinco jogos invictos representam a melhor sequência do clube nesta Série A.

Vale lembrar que apenas outros dois times estão com uma série de cinco jogos sem perder no Brasileiro. Vice-líder, o Atlético-MG soma cinco vitórias consecutivas. Já o Flamengo, adversário do Leão no sábado, também soma três vitórias e dois empates no período, o que levou o time da Gávea para a 4ª colocação. Já o Sport saiu da zona de rebaixamento para o 12º lugar.

O Sport em 2016

Brasileiro

vitórias

5
empate

8
derrotas


Pernambucano
 
6
vitórias

3
empates

5
derrotas

Copa do Nordeste

5
vitórias

2
empates

3
derrotas

Copa do Brasil

2
derrotas

Taça Ariano Suassuna

1
vitória

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

CBF confirma transferência do jogo entre Sport e Flamengo, sábado, para a Arena de Pernambuco

 Camila Alves /Especial para o Diario de Pernambuco


A partida entre Sport e Flamengo, que marca o início do returno do Brasileiro no próximo sábado, foi transferida para a Arena de Pernambuco. A alteração foi confirmada nesta segunda-feira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Anteriormente marcada para acontecer na Ilha do Retiro, o confronto, válido pela 20ª rodada da Série A, terá início agora às 16h na cidade de São Lourenço da Mata. A mudança se configurou conforme uma solicitação advinda do clube pernambucano. Curiosamente, no ano passado, a única derrota do time pernambucano na Série A como mandante foi justamente contra o rival carioca, no mesmo estádio.

A expectativa é de que a diretoria do Sport anuncie ainda um pacote de jogos a serem realizados na Arena. Além do Flamengo, o confronto diante do Santa Cruz pela Copa Sul-Americana deve ser um deles. Desde sua inauguração, na Arena de Pernambuco, o Sport disputou 17 partidas. Venceu nove confrontos, empatou seis e perdeu dois. 

Neste ano, no entanto, todas as partidas mandadas pelo Sport no Brasileiro aconteceram na Ilha do Retiro. Foram quatro vitórias, três empates e duas derrotas. Configurando, portanto, um rendimento de 55%. Caso vença a disputa, o Sport engata uma sequência de seis jogos totais sem derrotas. A possibilidade de, pela primeira vez, figurar entre os dez primeiros da tabela configura o cenário almejado pelo Leão para se firmar de vez fora da zona de rebaixamento.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Santa Cruz tenta ser mais um algoz do Grêmio, sem vida fácil contra times da parte de baixo

postado em 04/08/2016 08:20 / atualizado em 04/08/2016 08:37

O poderio do Grêmio é inconteste. Força que se evidencia na colocação da equipe gaúcha na tabela da Série A. Há duas rodadas no G4 do Brasileiro, o time do técnico Roger Machado é ainda, de quebra, o terceiro melhor mandante do campeonato. Às 19h30 desta quinta-feira, logo em Porto Alegre, o Santa Cruz enfrenta esse indigesto oponente. Se tudo leva a crer que uma nova derrota dos corais é quase inevitável, a esperança pernambucana vem justamente do retrospecto do adversário diante de equipes que lutam contra o rebaixamento. Ao se deparar com clubes que tentam fugir da degola, a vida dos gremistas não tem sido nada fácil ultimamente.

No último domingo, um triunfo do Grêmio sobre o lanterna América-MG parecia assegurado. Frustrou-se quem pensou assim. Em Belo Horizonte, os gaúchos ficaram num empate sem gols, com chances perdidas para os dois lados, e perderam a oportunidade de dividirem a liderança com o Corinthians ao fim da rodada. O caso não foi isolado. O time de Douglas e companhia ainda tropeçou mais feio frente ao Vitória. Dentro de casa. Na 10ª rodada, acabou sendo derrotado por 2 a 1 e permitiu ao rubro-negro baiano se afastar ainda mais do Z4. Esse, aliás, foi o único revés gremista em seu território até então.     

Rival do Santa, o Sport também já complicou o Grêmio neste Brasileiro. Há três jogos, à época na penúltima posição, o Leão ganhou por 4 a 2, na Ilha do Retiro, e iniciou a sua reação no Brasileiro. Ao se encontrar com equipes na zona de rebaixamento ou perto dela, no entanto, não foram só tropeços. O time de Roger já ganhou de Cruzeiro e Figueirense. Mas apenas a última mais recentemente. O gol do triunfo naquela partida, por sinal, só foi feito nos acréscimos do jogo, com o atacante Bobô. O Tricolor Gaúcho também enfrentou o Coritiba, um dos candidatos à queda, e ganhou em casa por 2 a 0. Mas ainda na quarta rodada, quando o Coxa se situava no meio da tabela.   

O técnico Milton Mendes compreende que é possível arrancar pontos do Grêmio no Rio Grande do Sul. Agora no 4-4-2 pelo segundo jogo seguido, recheou o meio-campo com volantes para “ganhar corpo” no setor. Crê que o Santa vai precisar marcar para surpreender. Contudo, o treinador cobra que o time ataque como não atacou o Atlético-MG na rodada passada e perdeu por 3 a 0, em Minas Gerais. “Precisamos que eles (os volante) apareçam. O Derley é o único deles mais defensivo.”

Time
O Santa Cruz perdeu Uillian Correia para o jogo, que sofre com incômodos no pé e foi vetado. Derley perderia a posição devido à volta de João Paulo, que estava suspenso. Mas com a ausência de Correia, continuará entre os titulares. O resto do meio-campo será formado pelos também volantes Jadson e Danilo Pires. Na zaga, Mendes não adiantou se Neris retorna após lesão na coxa direita. Se não reunir condições ainda de atuar, Luan Peres segue na posição.

Adversário
O treinador Roger Machado vai poder praticamente repetir o mesmo time titular que empatou em 0 a 0 com o América-MG, no estádio Independência. A única mudança na escalação vai ser na lateral direita do Grêmio. Suspenso após ter recebido um cartão vermelho contra o Coelho, Edílson cede lugar a Wallace Oliveira na posição.  

Ficha técnica
Grêmio
Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Pedro Geromel, Wallace Reis e Marcelo Oliveira; Jaílson, Maicon, Negueba, Douglas e Pedro Rocha; Miller Bolaños. Técnico: Roger Machado.

Santa Cruz

Tiago Cardoso; Léo Moura, Luan Peres (Neris), Danny Morais e Tiago Costa; Derley, Jadson, Danilo Pires e João Paulo; Keno e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Estádio:
 Arena do Grêmio (Porto Alegre-RS). Horário: 19h30. Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP). Assistentes:Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP).

O retrospecto do Grêmio contra os times que lutam contra o rebaixamento 

Tropeços

10ª rodada

Grêmio 1 x 2 Vitória
(Vitória era 15º  colocado)

15ª rodada
Sport 4 x 2 Grêmio
(Sport era 19º colocado)

17ª rodada
América-MG 0 x 0 Grêmio
(América era 20º colocado)

Vitórias

9ª rodada

Grêmio 2 x 0 Cruzeiro
(Cruzeiro era 17º colocado)

14ª rodada
Grêmio 2 x 1 Figueirense
(Figueirense era 16º colocado)

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Sport recebe América para engatar sequência histórica e figurar entre os dez da Série A

Brenno Costa /Diario de Pernambuco

Desde que o Sport iniciou a disputa da Série A, os olhares estiveram voltados para a parte de baixo da tabela. O início de ano com uma montagem do elenco com erros e a falta de encaixe dentro de campo fizeram com que a zona de rebaixamento da Série A fosse um tormento presente em 13 das 17 rodadas disputadas. Mas a evolução que se desenhava começou a ganhar corpo. Com a chance de engatar uma inédita sequência de quatro vitórias, o Leão recebe o lanterna América-MG, às 19h30 desta quarta-feira, e pode chegar, pela primeira vez, entre os dez primeiros colocados. Figurar, assim, na primeira página da classificação.

Em uma rodada perfeita, a vitória para o Sport significa saltar do 12º lugar para o oitavo, com 24 pontos. Para isso, Chapecoense, São Paulo, Fluminense e Ponte Preta precisam ser derrotados. No elenco rubro-negro, portanto, a partida diante do Coelho é tratada como um jogo que pode dividir a história do time dentro desta Série A.

“Eu vou ser bem sincero. Depois desse jogo do América, que se Deus quiser a gente vai fazer uma boa vitória, eu creio que a gente começa a pensar em uma outra parte da tabela. Até então, a gente está tentando se afastar da zona de rebaixamento. A gente conseguindo essa vitória, não vou ficar de muita enrolação. A gente vai começar a pensar do meio da tabela para cima”, disse o volante Serginho.

Mas, apesar do clima de confiança que ronda a Ilha do Retiro, os jogadores do Sport estão em alerta para não relaxar. Durante a semana, o técnico Oswaldo de Oliveira teve conversas com o grupo. Não quer comodismo para o duelo contra o América-MG, lanterna isolado da competição.

“Vamos ter oportunidade diante de um adversário que não vem bem na competição. Mas, de qualquer maneira, vamos respeitar o máximo possível porque, falando de Série A, todos os adversários são de qualidade. Então, a gente tem que tomar o máximo de cuidado possível. Não relaxar. Manter o foco que a gente vem bem na competição”, afirmou Ronaldo Alves.

Adversário
O América-MG chega ao Recife após interromper uma sequência de sete derrotas seguidas com o empate em 0 a 0 alcançado diante do Grêmio, na última rodada. O time, contudo, ainda não venceu uma partida sequer longe de Minas Gerais. Para o duelo diante do Leão, o técnico Enderson Moreira tem o meia Osman como principal desfalque. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele será substituído por Bruno Sávio.

Ficha do jogo

Sport

Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Rithely, Serginho, Everton Felipe, Diego Souza e Rogério; Edmílson. Técnico: Oswaldo de Oliveira

América-MG

João Ricardo; Jonas, Alison, Sueliton e Gilson; Pablo, Leandro Guerreiro, Juninho e Matheusinho; Bruno Sávio e Michael. Técnico: Enderson Moreira

Horário: 19h30. Local: Ilha do Retiro (Recife). Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC/Fifa). Assistentes: Kléber Lúcio Gil (SC/Fifa) e Carlos Berkenbrock (SC). Ingressos: R$ 20 (sócio e meia-entrada arquibancada da sede, meia-entrada visitante); R$ 30 (meia-entrada e sócio arquibancada frontal); R$ 40 (visitante e arquibancada sede); R$ 80 (cadeira assento especial e ampliação); R$ 120 (cadeira central não-sócio).

Mendes atesta que formação do Santa Cruz parou de funcionar e aposta em novo esquema

 Yuri de Lira /Diario de Pernambuco

Parece ter chegado ao fim o esquema tático do técnico Milton Mendes, utilizado por ele desde a sua chegada no Santa Cruz, no fim de março. O 4-2-3-1, com pontas abertos e apenas um jogador centralizado no ataque, teve êxito nas conquistas do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste. Porém, ficou visado após o bom início do time na Série A e parou de dar certo. Pela segunda vez consecutiva no Brasileiro, então, o treinador irá optar pelo tradicional 4-4-2. Terá um meio-campo mais povoado e formado por três volantes de ofício, além de João Paulo. Nesta quinta-feira, quando o time visita o Grêmio, em Porto Alegre, a ideia é que a formação encaixe e que apresente resultados melhores que no último jogo.

Diante do Atlético-MG, no último sábado, Mendes não se furtou em testar o 4-4-2. Já havia usado a formação três rodadas antes - na vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, no Arruda. Mas, naquela ocasião, apenas devido à lesão de Grafite, que foi substituído por Marion, um quarto homem no meio-campo. Contra o Galo, Arthur foi o escolhido para deixar a equipe e tornar possível a mudança de esquema. Diante do Grêmio, o atacante seguirá de fora do time para a manutenção desta nova composição tática, que, segundo o técnico, visa dar mais solidez à retaguarda do Santa Cruz.

Milton confessa que o antigo esquema não estava mais funcionando. Ao se deparar com adversários de mais qualidade técnica na Série A, acabou deixando o Tricolor muito exposto. “Desde quando aqui cheguei, posicionávamos no 4-2-3-1, que atacava no 4-3-3. O segredo é que fechávamos por dentro, a equipe ganhava corpo e tínhamos saída de jogo. A partir do momento que a gente deixou de fazer isso, ficamos vulneráveis por causa da qualidade de uma primeira divisão, que é diferente do nível do Pernambucano e Copa do Nordeste. Precisávamos de estabilidade defensiva. A gente precisava encorpar a equipe para depois sair para o jogo”, avaliou.

Apesar da derrota por 3 a 0 no Independência, o 4-4-2 deu uma boa impressão para Milton Mendes. Desta vez, só espera que as jogadas sejam mais bem construídas. “Eu queria ganhar corpo no meio-campo como ganhamos. Só que a transição não aconteceu. Contra o Grêmio, vai ser muito parecido com isso. Preciso fazer com que Danilo (Pires) e o próprio Jadson entendam que podemos chegar à frente também, não só fazer o meio.”

João Paulo mais livre para criar

Além desses dois atletas, João Paulo também ocupará uma posição no meio-campo após ter cumprido suspensão. Deixa a função de volante e vai ter a tarefa de fazer a bola chegar mais redonda ao ataque. Como um meia. “(A nova formação) faz o time ficar mais agrupado na recomposição. Talvez, defensivamente, a gente corra menos riscos. Mas acho que depende muito do que a gente vai fazer dentro de campo. A gente tem que ter atitude para as coisas fluírem da maneira correta”, afirmou o jogador. O jogador entra no lugar de Uillian Correia, que sofre com incômodos no péDerley, portanto, deve seguir entre os titulares.
 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Classificação da Série A 2016 – 16ª rodada

Os times pernambucanos voltaram a inverter posições na classificação do Brasileirão, com o Santa Cruz perdendo em casa do Coritiba, no sábado, e oSport vencendo o Cruzeiro o fora de casa, no domingo. Ao fim da 16ª rodada – coma  vitória do Flamengo sobre o cada vez mais afundado América Mineiro, na segunda-feira -, os rivais das multidões ficaram fora do Z4, num cenário raro nesta edição. Foram ajudados também pelos tropeços dos concorrentes.
Com os torcedores já fazendo as contas, o blog tenta ajudar. São duas projeções, uma com 46 pontos, a margem mínima com 100% de segurança (até hoje). A segunda considera a atual campanha do 16º lugar, curiosamente o próprio Santa, o primeiro acima da zona de descenso. Hoje com 35,4% de aproveitamento. Ao final de 38 rodadas, esse índice resultaria em 41 pontos. Veja o que tricolores e rubro-negros precisam fazer a partir de agora…
Sport – soma 18 pontos em 16 jogos (37,5%)
Para chegar a 46 pontos (margem segura):
Precisa de 28 pontos em 22 rodadas
…ou 42,4% de aproveitamento
Simulações: 9v-1e-12d, 8v-4e-10d, 7v-7e-8d
Para chegar a 41 pontos (rendimento atual do 16º):
Precisa de 23 pontos em 22 rodadas
…ou 34,8% de aproveitamento
Simulações: 7v-2e-13d, 6v-5e-11d, 5v-8e-9d 
Chance de escapar: 81,0% (Chance de Gol) e 79% (Infobola)
Santa Cruz – soma 17 pontos em 16 jogos (35,4%)
Para chegar a 46 pontos (margem segura):
Precisa de 29 pontos em 22 rodadas
…ou 43,9% de aproveitamento
Simulações: 9v-2e-11d, 8v-5e-9d, 7v-8e-7d
Para chegar a 41 pontos (rendimento atual do 16º):
Precisa de 24 pontos em 22 rodadas
…ou 36,3% de aproveitamento
Simulações: 7v-3e-12d, 6v-6e-10d, 5v-9e-8d
Chance de escapar: 60,1% (Chance de Gol) e 55% (Infobola)
A 17ª rodada dos representantes pernambucanos 
30/07 (18h30) – Sport x Atlético-PR (Ilha do Retiro)
Histórico no Recife na elite: 6 vitórias leoninas, 6 empates e 1 derrota
30/07 (21h00) – Atlético-MG x Santa Cruz (Independência)
Histórico em BH pela elite: nenhuma vitória coral, 2 empates e 2 derrotas

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Técnico do Náutico reconhece limitações do time e quer usar parada na Série B para ajustes

Brenno Costa /Diario de Pernambuco

A oscilação do Náutico não existe à toa. Convivendo com desfalques por lesões e ainda com carências no elenco, o time alvirrubro se distanciou do G4 da Série B. Há, contudo, tempo e jogos para recuperar os pontos perdidos. É nesse momento, por sinal, que o técnico Alexandre Gallo se apega para fazer os ajustes necessários. Uma rara oportunidade. Depois das partidas com Tupi e Oeste, a Segunda Divisão mergulha em uma parada e o Timbu foi um dos mais beneficiados. Terá do dia 3 até 19 de agosto para se reinventar.

“Tivemos dias de trabalho que foram bastante complicados pelo número de lesões que aumentaram. Ainda não consegui colocar em campo a equipe que penso ser titular. Nós lá dentro sabemos o que está acontecendo e trabalhamos tentando minimizar os problemas”, avaliou o treinador Alexandre Gallo. Por exemplo, na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, na última sexta-feira, o comandante não pôde contar com seis jogadores por conta de lesão.

Ficaram de fora os atacantes Bergson e Yuri Mamute, o volante Eurico e o meia Esquerdinha. Esses atletas, porém, devem ser liberados para jogar durante esta semana. Uma previsão impossível de se concretizar com o volante Rodrigo Souza, que não tem data definida para o retorno após ter uma contusão no tornozelo, assim como o atacante Taiberson, que, com uma séria lesão no joelho, passará por cirurgia.

“A parada (em agosto) vai ser boa, principalmente para resgatar o pessoal que está no departamento médico. Talvez não o Rodrigo Souza, que é um jogador importante, mas poderemos resgatar o restante do grupo. E vamos trazer alguns jogadores também. Como todo grande clube, o Náutico está pensando em se reforçar”, disse Gallo.

Reforços

Dentro desse quadro, o treinador reconhece que o cenário financeiro não é o ideal, mas, ainda assim, o clube terá que assegurar um espaço no orçamento para evitar uma nova oscilação na visão do comandante. “Temos limites (financeiros), mas pensamos em reforços, sim. Não chegamos à metade do campeonato e precisamos seguir evoluindo. Mais para frente pode haver outra oscilação. Tudo depende do grupo que se montou. Todos (os clubes) vão ter uma ou duas oscilações ao longo do campeonato, que é longo, e nós temos todas as complicações possíveis. Mas vamos tentar ajustar e recuperar atletas nessa parada de agosto.”

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Para se manter na briga pelo acesso à Série A, Náutico não pode pensar em tropeço contra Avaí

Rafael Brasileiro /Diario de Pernambuco

O histórico da Série B é cruel. Não permite muitas exceções. Em dez edições desde que os pontos corridos foram implantados, o G4 da virada do turno nunca foi totalmente alterado no fim. No máximo duas equipes conseguiram entrar no grupo. Ainda faltam três rodadas para que a primeira metade da competição seja concluída, mas não há indícios de que o G4 vá sofrer muitas alteração até lá. Por isso, é importante que hoje, quando recebe o Avaí na Arena Pernambuco, às 21h30, o Náutico volte a somar pontos para iniciar uma aproximação ao grupo de acesso. Voltar a pensar em disputar a Série A em 2017.

Em entrevista recente, o técnico Alexandre Gallo parecia prever as dificuldades do primeiro turno. Imaginava que as lesões e suspensões poderiam complicar a vida do Timbu na competição. Talvez por isso tenha utilizado Santa Cruz (em 2015) e Ponte Preta (2014) como exemplos de equipes que terminaram o primeiro turno fora da zona de classificação à Série A e conseguiram o objetivo final. 

A questão é que o Náutico precisa “remar” um pouquinho nesta reta final para virar o turno na condição semelhante à dos times citados. O Tricolor, que protagonizou uma das maiores reações da história da Série B - saiu da zona de rebaixamento para o acesso -,virou o turno a cinco pontos do G4. A Ponte Preta, por sua vez, estava colada do grupo de acesso na 19ª rodada. A distância era de somente um ponto. O Náutico, atualmente, está a oito pontos.

Os atletas parecem conscientes da missão e não negociam a meta para os três jogos seguintes. Querem três vitórias, 100% de aproveitamento. Principalmente pelos dois próximos confrontos serem na Arena Pernambuco. “Nesses dois jogos é importantíssimo que consigamos as vitórias. Temos que somar esses pontos. Temos que fazer 30 com o restante dos jogos. Depois, quem sabe, fazer mais 35 para pensar em acesso”, projetou o meia Hugo.

A cota do milagre
Se não conseguir o aproveitamento projetado ou ficar muito abaixo disso, perseguir o acesso no segundo turno será uma missão difícil. Só há um precedente, na história, de um clube que ficou bem abaixo dos 30 pontos no primeiro turno e conseguiu o acesso. Em 2006, na estreia dos pontos corridos, o América-RN tinha, na 17ª rodada, apenas 19 pontos. No início do returno, somava 25. Foi para a Série A com 61 pontos ao ter um aproveitamento de 63,15% nos 19 jogos finais.

Ficha do jogo

Náutico
Júlio César; Joazi (Walber), Rafael Pereira, Eduardo e Gaston; Ygor (João Ananias), Maylson, Renan Oliveira e Hugo; Rony e Jefferson Nem. Técnico: Alexandre Gallo.

Avaí
Renan; Alemão, André Santos, Fábio Sanches e Capa; Luan, Jajá, Renato e Diego Jardel; William e Romulo. Técnico: Silas. 

Estádio: Arena Pernambuco, em São Lourenço
Horário: 21h30
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Leandro dos Santos Ruberdo (SP)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Antes do final da janela, Sport acerta contratação de atacante colombiano Luis Carlos Ruíz

Diego Borges /Especial para o Diario Brenno Costa /Diario de Pernambuco

O atacante Luis Carlos Ruíz é o novo contratado do Sport para a sequência da temporada. O jogador pertence ao Atético Nacional da Colômbia, equipe que disputa a final da Libertadores da América e deve chegar ao Recife já com todos os documentos para assinar contrato com o clube. O Rubro-negro anunciou oficialmente a contratação na manhã desta terça-feira. Ele virá por empréstimo até o fim do ano.

O empresário do jogador, Alex Rios, já está no Nordeste, onde finaliza a contratação de Cárdenas junto ao Vitória, da Bahia. Em entrevista aoSuperesportes, Alex já havia revelado detalhes do acerto. "Está perto. Amanhã (terça), fechamos tudo e viajamos. O jogador está em Medellin enquanto aguardamos para fechar a negociação", disse. O atacante chega ao Recife nesta quarta-feira.

Luiz Carlos Ruíz é destro, tem 1,82m de altura e foi formado nas categorias de base do Junior Barranquilla, clube colombiano que defendeu por sete temporadas. Em 2014, foi contratado pelo Shanghai Greenland da China e voltou no mesmo ano para a Colômbia, desta vez no Atlético Nacional de Medelín. Na atual temporada, o atleta soma 16 jogos com o clube e soma quatro gols marcados.

Paulo Roberto
Além do atacante colombiano, o Sport deve receber a chegada do volante Paulo Roberto, vindo do Bahia. O atleta de 29 anos também deve chegar nesta terça-feira para realizar exames médicos e assinar contrato com o clube rubro-negro, onde deve disputar posição no meio-campo.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Náutico pode mudar esquema tático devido a lesões e em busca de pontos no Serra Dourada

Rafael Brasileiro /Diario de Pernambuco

No último treino no Recife antes da viagem para Goiás, o técnico Alexandre Gallo viveu uma situação nada comum na sua carreira. Treinou com apenas 20 atletas em campo. Algo que só ocorre em pré-temporada, quando o time ainda está em formação. Não em julho, quando o Campeonato Brasileiro está a todo vapor. Tudo por conta das lesões que vivem atormentando o elenco alvirrubro. Para a partida deste sábado, contra o Goiás, às 16h30, no Serra Dourada, serão sete desfalques, sendo apenas um por suspensão. Fatores que podem mudar o esquema tático do Náutico. 

Para se ter ideia do quão complicada é a situação de Gallo, os únicos jogadores que atuaram na última partida, contra o CRB, e que estão garantidos para enfrentar o Goiás são o goleiro Júlio César e o lateral direito Joazi. Por isso, o técnico afirmou que pode mudar a forma de jogar.

“Temos que ter a calma e a serenidade para entender que precisamos dar um passo atrás para dar dois à frente. Não tenho compromisso com erro. Tenho com acerto. Às vezes temos que ter a humildade de mudar o sistema e trabalhar com o que temos na mão. Já treinamos (nesta semana) em dois sistemas diferentes até para que em uma mudança durante o jogo não haja surpresa”.

terça-feira, 12 de julho de 2016

Rithely vira dúvida, Gabriel Xavier é vetado e González fica sem previsão de volta ao Sport

 Brenno Costa /Diario de Pernambuco

Se por um lado o retorno de Magrão para o jogo contra o Grêmio é provável, o Sport pode ter até cinco desfalques para o confronto deste domingo na Ilha do Retiro. Quatro deles, aliás, já são certos. Além do zagueiro Henríquez e do meia-atacante Rodney Wallace, o técnico Oswaldo de Oliveira não terá a oportunidade de escalar o titular e meia Gabriel Xavier e o também meia Mark González, que sequer tem uma previsão de retorno. Já o volante Rithely virou dúvida para o confronto após sofrer uma pancada no joelho, no duelo contra a Ponte Preta, no último sábado. Confira abaixo a situação de cada atleta nas palavras do diretor-médico Cleber Maciel.

Rithely (pancada no joelho, aguardando exame)

“Rithely se apresentou ontem (segunda) para tratar. Ele apresenta dores no joelho ainda. Teve um contratempo e não pôde fazer o exame de imagem. Ele está fazendo isso agora e precisamos desse resultado para dar uma avaliação mais precisa, mas a gente poder contar com ele também.”

Gabriel Xavier (lesão muscular, volta de 2 a 3 semanas)

“Gabriel Xavier já fez (o exame). Ontem (segunda), ele tratou em dois turnos, fez exame de imagem e foi constatado um estiramento muscular na região posterior da coxa esquerda. Essa lesão demanda um tempo de duas a três semanas para a gente poder contar novamente com o atleta. Obviamente que a gente vai tentar abreviar isso.”

Rodney Wallace (lesão muscular, de 2 a 3 semanas)

“É uma lesão muito similar a de Gabriel Xavier, também na parte posterior da coxa com a diferença que ele já tem a mais uma semana de tratamento. A gente espera contar com o atleta para o jogo contra o Cruzeiro.”

Mark González (lesão muscular, sem previsão de volta)

“Ele tem uma queixa na região anterior da coxa esquerda. Essa queixa se intensificou nos últimos dias e ele vem tratando. Eu diria que, no momento, a gente não tem previsão para esse retorno, mas o departamento médico está trabalhando para contar com o atleta o mais rápido possível. Agora, foi uma lesão por sobreuso, diferente daquela teve um trauma.

Henríquez (lesão lombar, sem previsão de volta)“Henríquez está na fase de fortalecimento muscular de forma supervisionada diferente de Magrão. Henríquez ainda tem essa participação direta da fisioterapia porque a evolução dele precisa de uma evolução interessante do pontonde vista muscular.”

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Presidente do Sport espera reforços para esta semana e diz que é inadmissível improvisação



Com o time presente na zona de rebaixamento em 12 das 14 rodadas da Série A, o presidente do Sport admitiu, em coletiva de imprensa, na manhã da segunda-feira, que o clube precisa encontrar reforços urgentemente. Inclusive, citou as posições mais carentes do grupo que são lateral direita, volante e centroavante. Para João Humberto Martorelli, por sinal, essa reposição já é tardia. Poderia ter evitado algo que vê como inadmissível: a improvisação do volante Rodrigo Mancha na partida contra a Ponte Preta, no último sábado.

“Estamos conscientes de que precisamos fazer contratações. De modo que nós que esperamos ainda trazer reforços para aquelas posições mais urgentes, tais como a lateral direita, um volante e um centroavante, ainda esta semana. Basicamente isso e talvez uma ou outra posição. Mas o mercado está extremamente difícil”, disse o presidente do Sport. 

“A contratação desses reforços já se faz tarde. Nós estamos pressionando bastante a diretoria de futebol, que, a despeito dessas dificuldades, tem que superá-las. Nós estamos pressionando para que isso aconteça e nós estamos esperando, ainda esta semana, estar com os reforços. É inadmissível que o Sport, um time de Série A e da tradição do Sport, tenha tido que improvisar um lateral direito no jogo do último sábado”, acrescentou.

A demora na chegada dos reforços, inclusive, já representa um retardo que atrapalha o desenvolvimento do time no Campeonato Brasileiro da Série A. “Evidentemente que, apesar da dificuldade, isso representa um processo de retardamento no trabalho. Precisa ser mais ágil principalmente neste pontos em que não temos uma posição de reserva ainda consistente.”

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Sport negocia volta de Marlone, do Corinthians

Superesportes

O Sport nunca desistiu de Marlone. Desde que o atleta se transferiu para o Corinthians, nesta temporada, o jogador já foi alvo de algumas investidas do time rubro-negro. Afinal, nunca chegou a se firmar na equipe paulista. Agora, contudo, as partes voltaram entrar em mais detalhes para o meia-atacante ser rubro-negro nesta Série A. De acordo com o empresário do atleta, Reginaldo Duarte, o executivo de futebol André Zanotta entrou em contato para ter o jogador. A resposta deve sair até a próxima segunda-feira.

"O André me ligou pedindo para ver se eu conseguiria um contato com Marlone para ver se o Marlone queria, como não está sendo aproveitado no Corinthians, voltar ao Sport. Pedi uma semana de prazo para tentar convencer. Marlone, no momento, está focado no Corinthians. Mas a gente agora recebeu esse convite e eu pedi uma semana, até segunda-feira, para me posicionar com relação a isso", disse Reginaldo Duarte.

O agente ainda preferiu não sinalizar se o atleta está inclinado a aceitar o convite. "Eu não vou dizer que há possibilidade de ir ou não ir. Eu vou dizer que estou passando para ele o interesse do Sport em que ele volte. Sinceramente, eu falei com ele. Com certeza, ele está pensando e vai conversar com a esposa. Mas, em momento algum, eu fui ao Corinthians para comunicar isso porque ainda não tive a posição dele", acrescentou.

Após a saída de Tite, Marlone passou a nutrir a esperança de ganhar mais espaço no time titular. Mas o substituto Cristóvão Borges, com quem já havia trabalhado no Fluminense, em 2015, e em um contato breve quando subiu aos profissionais do Vasco, em 2012, não deu muita brecha ao atleta.

O Sport, de imediato, surge como a grande possibilidade pela identificação. Marlone nunca perdeu o contato com o clube desde que saiu. Ainda conversa com jogadores do atual elenco. O Leão da Ilha, inclusive, consultou o Corinthians para ter o atleta assim que Oswaldo de Oliveira acertou com o time.

Na temporada passada, Marlone disputou 35 jogos pelo Sport e marcou três gols. Foi um dos destaques do time que terminou a Série A em sexto lugar. No Corinthians, o atleta de 24 anos disputou 11 partidas, sendo quatro pelo Brasileirão, e marcou dois gols. O Timão tem 50% dos direitos econômicos do meia-atacante. A outra metade pertence ao empresário Fernando Garcia, que já foi conselheiro do clube paulista.